ONU: status de Jerusalém precisa ser definido por negociação entre Israel e Palestina

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

O secretário-geral da ONU, António Guterres, reafirmou nesta quarta-feira (6) sua defesa de uma solução de dois Estados para o conflito entre israelenses e palestinos, pouco depois de o presidente norte-americano, Donald Trump, reconhecer Jerusalém como capital de Israel e determinar a transferência da embaixada norte-americana de Tel Aviv para a cidade.

“Jerusalém é uma questão de status final que precisa ser resolvida por meio de negociações diretas entre as duas partes, com base em resoluções relevantes do Conselho de Segurança e da Assembleia Geral, levando em conta as preocupações legítimas tanto do lado palestino como israelense”, disse Guterres em comunicado.

Vista da Cúpula da Rocha na Cidade Antiga de Jerusalém. Foto: Wikicommons/Berthold Werner (CC)

O secretário-geral da ONU, António Guterres, reafirmou nesta quarta-feira (6) sua defesa de uma solução de dois Estados para o conflito entre israelenses e palestinos, pouco depois de o presidente norte-americano, Donald Trump, reconhecer Jerusalém como capital de Israel e determinar a transferência da embaixada norte-americana de Tel Aviv para a cidade.

“Desde o meu primeiro dia como secretário-geral da ONU, eu critiquei constantemente quaisquer medidas unilaterais que poderiam prejudicar as perspectivas de paz para israelenses e palestinos”, disse Guterres em comunicado.

“Jerusalém é uma questão de status final que precisa ser resolvida por meio de negociações diretas entre as duas partes, com base em resoluções relevantes do Conselho de Segurança e da Assembleia Geral, levando em conta as preocupações legítimas tanto do lado palestino como israelense”, completou.

Guterres disse entender “a profunda ligação que Jerusalém tem com os corações de tanta gente”, e que “tem sido assim por séculos e sempre será”. “Neste momento de grande ansiedade, quero deixar claro: não há alternativa além da solução de dois Estados. Não há plano B”.

O secretário-geral da ONU disse ainda que somente colocando em prática a visão de dois Estados vivendo lado a lado em paz, segurança e reconhecimento mútuo, tendo Jerusalém como capital de Israel e da Palestina, e todas as questões de status final resolvidas permanentemente por meio de negociações, será possível atingir as aspirações legítima dos dois povos.

“Como secretário-geral da ONU, farei tudo que estiver ao meu alcance para ajudar líderes israelenses e palestinos a retornar a negociações significativas e a realizar essa visão de uma paz duradoura para os dois povos”, concluiu.


Comente

comentários