ONU solicita mais suprimentos de emergência para tempestade tropical que se aproxima do Haiti

Suprimentos de emergência e equipamentos ainda são necessários para preparar a rápida aproximação da tempestade tropical Tomas, que poderia afetar até meio milhão de pessoas no Haiti, declarou a ONU nesta quinta-feira (04/11).

Uma mãe se deita ao lado de seu filho, que recebe tratamento contra a cólera no Haiti. Foto: ONU.Suprimentos de emergência e equipamentos ainda são necessários para preparar a rápida aproximação da tempestade tropical Tomas, que poderia afetar até meio milhão de pessoas no Haiti, declarou a ONU nesta quinta-feira (04/11).

A tempestade que se aproxima pode levar à terceira crise humanitária que o Haiti enfrenta este ano, vindo em meio aos esforços para atender mais de um milhão de pessoas que ficaram desabrigadas devido ao terremoto que devastou o país em janeiro e um surto de cólera que eclodiu no mês passado, de acordo com o Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA).

Agências da ONU e sua missão de estabilização no Haiti, a MINUSTAH, têm trabalhado com o governo local e parceiros da ajuda humanitária a posicionar com antecedência suprimentos de emergência e equipamentos, tais como caminhões, água e materiais de saneamento, abrigos, alimentos e itens não alimentícios nas áreas com maior probabilidade de serem atingidas pela tempestade.

“Mesmo com os estoques existentes já posicionados, a magnitude potencial deste desastre lança um apelo urgente por suprimentos de emergência e equipamentos adicionais”, advertiu o Coordenador Humanitário da ONU para o Haiti, Nigel Fisher.

O possível caminho da tempestade continua mudando, mas a atualização mais recente sugere uma alta probabilidade de inundações, especialmente nas zonas costeiras, mas também em todo o país. As autoridades haitianas têm encorajado os residentes de baixas áreas costeiras e campos a procurarem abrigos alternativos, onde for possível, com famílias e amigos que morem em lugares mais seguros, de acordo com o OCHA.