ONU seleciona ativistas trans para capacitação remunerada na Suíça

Até 5 de julho, o Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) recebe inscrições para uma bolsa de capacitação de ativistas trans em Genebra.

Com auxílio financeiro mensal, os selecionados vão passar sete meses na sede da ONU na Suíça para aprender sobre os mecanismos de direitos humanos da Organização e sobre os quadros legais internacionais que protegem e promovem os direitos das pessoas transexuais.

Bandeira do orgulho trans hasteada em São Francisco, nos Estados Unidos. Foto: Flickr (CC)/torbakhopper

Bandeira do orgulho trans hasteada em São Francisco, nos Estados Unidos. Foto: Flickr (CC)/torbakhopper

Até 5 de julho, o Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) recebe inscrições para uma bolsa de capacitação de ativistas trans em Genebra. Com auxílio financeiro mensal, os selecionados vão passar sete meses na sede da ONU na Suíça para aprender sobre os mecanismos de direitos humanos da Organização e sobre os quadros legais internacionais que protegem e promovem os direitos das pessoas transexuais.

Deveres e responsabilidades do bolsista:

  • Apoiar a pesquisa e a análise de padrões de violações de direitos humanos que afetam as pessoas trans;
  • Apoiar a implementação da campanha Livres & Iguais da ONU, contribuindo com o desenvolvimento de materiais de informação pública;
  • Apoiar um maior engajamento de organizações da sociedade civil e dos defensores de direitos humanos que trabalham em campo com os mecanismos de direitos humanos da ONU, incluindo os órgãos de tratados, os procedimentos especiais e a Revisão Periódica Universal;
  • Contribuir com a redação de releases de mídia, artigos de jornais, matérias para a web, correspondência, relatórios, notas informativas, pontos de discussão e discursos;
  • Contribuir com a implementação das atividades do ACNUDH relacionadas aos direitos humanos de pessoas lésbicas, gays, bissexuais, trans e intersexo;
  • Contribuir com um entendimento mais amplo sobre gênero, que seja inclusivo para as pessoas trans e em não conformidade de gênero, dentro do trabalho geral da Seção sobre integração de gênero.

Como funciona o programa:

  • O programa de bolsa terá duração de sete meses e será realizado em Genebra, Suíça;
    O bolsista vai trabalhar dentro da Seção de Direitos Humanos das Mulheres e Gênero, do ACNUDH;
  • O programa de bolsa estará condicionado à obtenção pelo candidato de um visto para a Suíça. O ACNUDH dará uma carta para apoiar a solicitação do visto e vai cobrir taxas associadas ao visto, mas são as autoridades suíças que decidem emitir ou não o documento;
  • O bolsista receberá um auxílio mensal de 3.800 francos suíços para cobrir suas despesas durante o programa de bolsa (Por favor, note que não se trata de um cargo de emprego regular no ACNUDH e que o programa não leva a direitos de emprego para além dos termos do programa de bolsa);
  • O ACNUDH dará uma passagem de ida e volta (classe econômica) no início/fim do programa de bolsa, para que o bolsista possa deixar e retornar ao seu país de residência;
  • O ACNUDH dará um seguro básico de saúde;
  • Ao bolsista, será exigido o envio de um relatório na metade e ao final do programa de bolsa, onde deve detalhar a sua experiência;
  • Em 2019, o programa de bolsa estará aberto para candidatos que se identifiquem como trans.

Exigências para os candidatos:

  • Deve ser indicado por uma organização que trabalhe com os direitos humanos das pessoas trans;
  • Deve ter dois anos de experiência trabalhando com os direitos humanos das pessoas trans/questões de direitos humanos, identidade e expressão de gênero;
  • Deve ser fluente em Inglês (comunicação oral e escrita), que será a língua das atividades do programa de bolsa. Conhecimento de qualquer outra língua oficial da ONU será uma vantagem;
  • Deve se comprometer a transmitir o conhecimento e a experiência obtida durante a bolsa ao retornar para a sua respectiva organização e/ou país de residência;
  • Deve ter, no mínimo, 18 anos de idade;
  • Deve obter autorização médica antes de começar o programa de bolsa.

Outros critérios:

  • Experiência e habilidades relevantes para o mandato do ACNUDH, incluindo direito internacional de direitos humanos, são uma vantagem;
  • Experiência com uma organização que trabalha com os direitos humanos das pessoas trans é uma vantagem;
  • Será dada uma consideração especial à diversidade geográfica.

Processo de candidatura:

  • Os formulários de inscrição (incluindo a parte 1, do candidato, e a parte 2, da organização que o indicar) devem ser enviados até 5 de julho de 2019 para esse endereço de e-mail: 2019transfellowship@ohchr.org
  • Não será considerada nenhuma correspondência em relação ao status da candidatura.
  • Se você não for contactado dentro de seis semanas após o prazo das inscrições, isso significa que a sua candidatura não foi bem-sucedida.
  • Os candidatos precisam estar disponíveis para participar do programa ao longo de toda a sua duração.

Acesse os formulários de inscrição clicando aqui.

Acesse os termos de referência do Programa de Bolsas LGBTI do ACNUDH 2019 clicando aqui.


Comente

comentários