ONU renova missão de paz no Saara Ocidental

Conselho de Segurança estendeu o mandato das forças de paz das Nações Unidas no Saara Ocidental para até 31 de outubro. Os líderes pedem por uma solução política “prática, realista e duradoura” para encerrar conflito que já dura décadas.

Pacificadores com a Missão das Nações Unidas para o Referendo do Saara Ocidental (MINURSO) consultam um mapa enquanto atravessam áreas desérticas em Oum Dreyga, no Saara Ocidental. Foto: ONU/Martine Perret

Pacificadores com a Missão das Nações Unidas para o Referendo do Saara Ocidental (MINURSO) consultam um mapa enquanto atravessam áreas desérticas em Oum Dreyga, no Saara Ocidental. Foto: ONU/Martine Perret

O Conselho de Segurança estendeu no final de abril o mandato das forças de paz das Nações Unidas no Saara Ocidental para até 31 de outubro desse ano. Os líderes pedem uma solução política “prática, realista e duradoura” para encerrar conflito que já dura décadas.

O Saara Ocidental é um território localizado no noroeste da costa do continente africano, com fronteiras entre o Marrocos, Mauritânia e Argélia.

A administração colonial do Saara Ocidental pela Espanha teve fim em 1976, levando a conflitos entre o Marrocos e a Frente Polisário. Um cessar-fogo foi assinado em setembro de 1991.

A Missão de Paz da ONU na região, MINURSO, foi enviada naquele mesmo ano para supervisionar o cessar-fogo, bem como garantir a realização do plano da ONU. Porém, desacordos entre o governo do Marrocos e a Frente Polisário impediram a realização do aguardado referendo sobre o futuro do território.

Um plano revisado de paz foi proposto pelas Nações Unidas após sete anos de consultas diplomáticas, mas foi rejeitado por umas das partes em 2004.

Com a renovação do mandato da MINURSO na região, em uma votação de 12 a favor e nenhum contra – com abstenções da China, Etiópia e Rússia –, o Conselho pediu para que os atores do conflito prossigam suas negociações sobre os auspícios do secretário-geral, sem precondições e em boa-fé.

Enfatizando a importância de um “comprometimento renovado” entre as partes para avançar com o processo político em preparação para a quinta rodada de negociações, o Conselho pediu para que os envolvidos trabalhem em uma atmosfera “propícia ao diálogo”.

Nesse contexto, o Conselho apresentou seu apoio ao secretário-geral e seu enviado especial para dar início novamente às negociações em uma “nova dinâmica e novo espírito”.

O objetivo é alcançar uma solução política mutualmente aceitável que promoveria um senso de autodeterminação junto ao povo do Saara Ocidental.