ONU realiza cerimônia em memória às vítimas do terremoto de 2010 no Haiti

Funcionários das Nações Unidas reúnem-se nesta sexta-feira (17) na sede da ONU, em Nova Iorque, para prestar uma homenagem a todos que perderam a vida no terremoto do Haiti, há dez anos.

Em 12 de janeiro de 2010, um tremor de 7 graus de magnitude matou mais de 222 mil pessoas, incluindo 102 trabalhadores da ONU que serviam na Missão de Estabilização do Haiti, a MINUSTAH.

Um homem caminha no meio de edifícios destruídos no centro de Porto Príncipe no Haiti, que sucumbiu ao terremoto de 12 de janeiro de 2010. Foto: MINUSTAH/Marco Dormino

Um homem caminha no meio de edifícios destruídos no centro de Porto Príncipe no Haiti, que sucumbiu ao terremoto de 12 de janeiro de 2010. Foto: MINUSTAH/Marco Dormino

Funcionários das Nações Unidas reúnem-se nesta sexta-feira (17) na sede da ONU, em Nova Iorque, para prestar uma homenagem a todos que perderam a vida no terremoto do Haiti, há dez anos.

Em 12 de janeiro de 2010, um tremor de 7 graus de magnitude matou mais de 222 mil pessoas, incluindo 102 trabalhadores da ONU que serviam na Missão de Estabilização do Haiti, a MINUSTAH.

Após a cerimônia, o secretário-geral da ONU, António Guterres, deve participar da inauguração de um monumento em memória dos que perderam a vida no terremoto, localizado nos jardins da ONU.

Em mensagem para a ocasião, Guterres disse que a data serve para lembrar “as centenas de milhares de haitianos que perderam suas vidas e os milhões afetados gravemente”.

Entre os funcionários da ONU mortos no terremoto estava o vice-chefe da Missão, o brasileiro Luiz Carlos da Costa. Ao todo, 20 brasileiros perderam a vida no terremoto.

Resiliência

Segundo o secretário-geral da ONU, na última década, “o Haiti se valeu da resiliência do seu povo e do apoio de muitos amigos para vencer este desastre.”

Ele afirmou que o Haiti “está se esforçando para atingir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, incluindo o reforço das instituições tão cruciais para o bem-estar e para a prosperidade do seu povo.”

O secretário-geral da ONU aproveitou a data para renovar “o compromisso das Nações Unidas em ajudar o Haiti e o seu povo na construção de um futuro melhor.” Ele expressou seus sentimentos a todos que perderam familiares, amigos e entes queridos no terremoto.