ONU quer 65 milhões de dólares para sobreviventes de tufão nas Filipinas

Tufão Bopha provocou inundações e deslizamentos de terra, matando centenas de pessoas no país asiático. A coordenação humanitária da ONU na região é chefiada pela brasileira Luiza Carvalho.

Devastações causadas pelo Tufão Bopha nas Filipinas.A ONU e seus parceiros humanitários solicitaram hoje à comunidade internacional 65 milhões de dólares para promover ajuda imediata na recuperação das milhões de pessoas afetadas nas Filipinas pelo Tufão Bopha. O Escritório das Nações Unidas de Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) afirmou que os recursos serão utilizados para um plano de ação de recuperação, que irá atender as necessidades de abrigo emergenciais, alimentares e de água para 480 mil pessoas atingidas pelo desastre, além de oferecer apoio psicológico e reparo físico, especialmente aos mais vulneráveis.

O Tufão Bopha, conhecido localmente como Pablo, é o mais forte tufão a atingir a área em décadas e atravessou o sul das Filipinas entre 4 e 7 de dezembro, matando centenas de pessoas e afetando a vida de milhões de outras, provocando inundações e deslizamentos de terra e devastando casas e colheitas.”Comunidades inteiras, incluindo mulheres grávidas e crianças não têm abrigo”, disse a Coordenadora Humanitária da ONU para Filipinas, a brasileira Luiza de Carvalho. A brasileira acrescentou que o impacto do tufão foi além do esperado e que as pessoas precisam desesperadamente de ajuda.

No dia 7 de dezembro, o Governo de Filipinas declarou estado de calamidade nacional e aceitou a oferta de ajuda internacional da equipe humanitária do país.