ONU propõe ações para inclusão financeira de dois bilhões de pessoas no mundo

Grupo de Trabalho da União Internacional de Telecomunicações se reunirá com representantes de serviços financeiros e de telecomunicação para planejar reforma na política das indústrias e gerar inclusão financeira nos países em desenvolvimento.

Transações financeiras por meio digital poderia incluir duas bilhões de pessoas sem conta bancária. Foto: Flickr

Transações financeiras por meio digital poderia incluir duas bilhões de pessoas sem conta bancária. Foto: Flickr

O grupo especializado em financiamento digital (DFS), da União Internacional de Telecomunicações (UIT), prepara uma reunião para discutir com representantes de serviços financeiros e de telecomunicação internacional formas de gerar acesso a serviços formais financeiros para os mais pobres sem acesso à conta bancária: dois bilhões de pessoas. O encontro será de 30 de setembro a 2 de outubro em Kuala Lumpur (Malásia).

“Com o rápido crescimento do uso de celulares e de redes telefônicas, a maioria das transações financeiras poderiam ser transferidas para a forma digital”, afirma o presidente do DFS e oficial sênior de programa da Fundação Bill e Melinda Gates, Sacha Polverini. Segundo ele, sistemas de pagamento digital podem reduzir os custos das transações em até 90%, dando a instituições financeiras, operadoras de celular e a um conjunto de provedores de serviços a habilidade de criar novos produtos feitos para atender às necessidades dos mais pobres”.

Os setores de pagamento das indústrias têm achado desafiador fornecer esses serviços a dois bilhões de pessoas, em sua maioria na Índia, China e Indonésia. Isso acontece porque a política e o regulamento dessas empresas não estão desenvolvendo um sistema competitivo que também se direcione aos mais pobres.

“Dada a importância do papel que o celular tem, a UIT tem uma oportunidade única de unir o serviço de telecomunicações, industrial e financeiro de todo o mundo”, afirmou o secretário-geral da organização, Houlin Zhao.


Comente

comentários