ONU promove mais de 30 atividades no Brasil pelo fim da violência contra mulheres

Mais de 30 atividades estão programadas para a campanha global 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, a serem realizadas por agências das Nações Unidas em nove cidades brasileiras — Brasília (DF), Boa Vista (RR), Campo Grande (MS), João Pessoa (PB), Juazeiro (BA), Manaus (AM), Natal (RN), Rio de Janeiro (RJ) e São Paulo (SP) — até 10 de dezembro.

As iniciativas são lideradas por Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), ONU Mulheres, Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e Escritório das Nações Unidas de Serviços para Projetos (UNOPS) no contexto da campanha do secretário-geral da ONU “UNA-SE pelo fim da violência contra as mulheres”.

A violência contra as mulheres – particularmente a violência por parte de parceiros e a violência sexual – é um grande problema de saúde pública e de violação dos direitos humanos das mulheres. Foto: George Campos/USP Imagens

A violência contra as mulheres – particularmente a violência por parte de parceiros e a violência sexual – é um grande problema de saúde pública e de violação dos direitos humanos das mulheres. Foto: George Campos/USP Imagens

Mais de 30 atividades estão programadas para a campanha global 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, a serem realizadas por agências das Nações Unidas em nove cidades brasileiras — Brasília (DF), Boa Vista (RR), Campo Grande (MS), João Pessoa (PB), Juazeiro (BA), Manaus (AM), Natal (RN), Rio de Janeiro (RJ) e São Paulo (SP) — até 10 de dezembro.

As iniciativas são lideradas por Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), ONU Mulheres, Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e Escritório das Nações Unidas de Serviços para Projetos (UNOPS) no contexto da campanha do secretário-geral da ONU “UNA-SE pelo fim da violência contra as mulheres”.

O calendário se estende de 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, até 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos. As atividades são direcionadas a diferentes públicos: meninas e meninos; mulheres jovens; mulheres, adolescentes e homens indígenas; mulheres negras; refugiadas; trabalhadoras; estudantes universitários e universitárias e comunidade acadêmica; gestores e gestoras públicas; operadores e operadoras de Justiça; professores e professoras do ensino médio; usuários e usuárias de Internet, entre outros.

Ao longo dos 16 Dias de Ativismo, o ACNUR promove as seguintes ações: rodas de conversas com mulheres, adolescentes e homens do povo Warao; oficinas sobre feminismo e novas masculinidades para refugiadas e refugiados; lançamento de plataforma sobre o perfil de solicitações de refúgio baseadas na orientação sexual e identidade de gênero; roda de conversa entre mulheres venezuelanas refugiadas.

Haverá também o lançamento de fluxograma de respostas à violência de gênero; produção de mini-documentário sobre refugiadas de diferentes nacionalidades; mostra sobre a situação da Venezuela, violência de gênero e novas masculinidades; lançamento de cartilhas produzidas por homens de várias nacionalidades com mensagens positivas de combate à violência de gênero e roda de conversa com refugiados e brasileiros sobre direitos sexuais. Essas atividades acontecem, de 24 de novembro a 8 de dezembro, em Boa Vista, Brasília, Manaus e São Paulo. Saiba mais: onu.org.br/16dias.

No período, a ONU Mulheres promove ou participa de encontros acadêmicos sobre direitos humanos, igualdade de gênero e masculinidades, promovidos pela universidades federais da Paraíba e do Rio Grande do Norte; ato de instalação de Grupo de Trabalho Interinstitucional da Paraíba sobre as Diretrizes Nacionais do Feminicídio; estande nos Jogos Escolares da Juventude com atividades lúdicas para atletas adolescentes; mobilização de empresas para o fim da violência contra as mulheres; desenvolvimento de uma estratégia de litigância em defesa dos direitos das mulheres.

Outras atividades incluem seminário internacional do Conselho Nacional do Ministério Público; atividade de avaliação da experiência de professoras e professores sobre a implementação de currículos voltados à prevenção da violência contra mulheres e meninas; reunião do Consórcio da Lei Maria da Penha e seminário do Congresso Nacional sobre a Lei Maria da Penha.

Essas ações se desenvolvem de 20 de novembro a 12 de dezembro em: Brasília, Campo Grande, João Pessoa, Juazeiro, Natal, Rio de Janeiro e São Paulo. Em apoio ao movimento ElesPorElas – HeForShe, liderado pela ONU Mulheres, o escritório USP Mulheres articula três rodas de conversa, de 22 de novembro a 5 de dezembro. Saiba mais: onumulheres.org.br/16dias.

Em 26 de novembro, a OPAS lançará, em Brasília, vídeo sobre gênero, raça e saúde. A UNESCO organizará café de conhecimento e mobilização pelo fim da violência contra as mulheres com Gina Vieira e Sandra Melo, em 29 de novembro, em Brasília. E o UNOPS fará palestra sobre violência contra as mulheres para trabalhadores da construção civil, em 7 de dezembro, em Brasília. Confira: onu.org.br/16dias.