ONU promove cerimônia de encerramento da missão de paz na Libéria

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Após 14 anos de atuação da Missão das Nações Unidas na Libéria (UNMIL), uma cerimônia oficial de despedida foi realizada na terça-feira (6) na capital, Monróvia, para homenagear o último contingente policial e militar a atuar no país.

“Hoje, a Libéria é uma história de sucesso e um exemplo clássico de uma nação pós-conflito que surgiu mais forte do que nunca. O país é, de fato, um símbolo de esperança para outras nações envolvidas em conflitos e guerras”, disse o comandante da força, major-general Salihu Zaway Uba, que lidera o componente militar da UNMIL — que inclui Nigéria, Paquistão e Ucrânia.

Em 2003, a UNMIL começou com 16,4 mil funcionários uniformizados. Desde então, 61 contingentes de vários países serviram no país. Foto: UNMIL

Em 2003, a UNMIL começou com 16,4 mil funcionários uniformizados. Desde então, 61 contingentes de vários países serviram no país. Foto: UNMIL

Após 14 anos de atuação da Missão das Nações Unidas na Libéria (UNMIL), uma cerimônia oficial de despedida foi realizada na terça-feira (6) na capital, Monróvia, para homenagear o último contingente policial e militar a atuar no país.

“Hoje, a Libéria é uma história de sucesso e um exemplo clássico de uma nação pós-conflito que surgiu mais forte do que nunca. O país é, de fato, um símbolo de esperança para outras nações envolvidas em conflitos e guerras”, disse o comandante da força, major-general Salihu Zaway Uba, que lidera o componente militar da UNMIL — que inclui Nigéria, Paquistão e Ucrânia.

Em 2003, a UNMIL começou com 16,4 mil funcionários uniformizados. Desde então, 61 contingentes de vários países serviram no país. Na cerimônia de despedida, 404 militares e 285 policiais foram homenageados.

De acordo com o major-general, as forças armadas e policiais da missão foram fundamentais para o fortalecimento da paz e da segurança, do Estado de direito e da governança na Libéria.

A Unidade de Polícia Formada, composta por nigerianos e chineses, era comandada pelo comissário de polícia Simon Blatchly.

“Enquanto encerramos (nossas atividades), a memória dessas 159 pessoas e outras na missão continuará a viver em nossas mentes, continuaremos a prestar homenagem especial a elas e a quem contribuiu para a paz e a segurança na Libéria”, disse o major-general sobre os 138 militares e 21 policiais mortos a serviço da missão.

Em nome de Blatchly, o comandante da força expressou seu profundo agradecimento ao componente uniformizado da UNMIL, dizendo: “como unidades e contingentes individuais, vocês fizeram um excelente trabalho mantendo as bandeiras no alto, estamos orgulhosos de seus esforços de contribuição significativa para a paz na Libéria”.

A Missão terminará oficialmente seu mandato em 30 de março de 2018.


Comente

comentários