ONU premia três jornalistas iraquianas por artigos sobre a vida das mulheres no país

Textos vencedores do concurso abordam pressão dos valores tradicionais sobre mulheres que praticam esportes em Mosul; o sofrimento de mulheres sequestradas; e crimes de honra.

Jornalistas mulheres iraquianas recebem prêmio da ONU. Foto: UNAMI

Jornalistas iraquianas recebem prêmio da ONU. Foto: UNAMI

Três jornalistas iraquianas foram as vencedoras de um concurso das Nações Unidas que destaca desafios diários enfrentados pelas mulheres que vivem no Iraque.

O artigo de Suha Audah descreve a pressão dos valores tradicionais sobre as mulheres que praticam esportes na cidade de Mosul; Enas Jabbar relata o sofrimento de mulheres sequestradas; e Shatha al-Shabibi aborda a delicada questão dos crimes de honra, generalizados na sociedade iraquiana tradicional.

Elas receberam os prêmios em cerimônia especial organizada no complexo da ONU no país em 1º de maio, como parte de uma mesa-redonda sobre as mulheres e os meios de comunicação para marcar o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa – 3 de maio.

“A seleção foi difícil, pois a qualidade dos artigos recebidos foi alta. A maioria das histórias retratou de forma brilhante os desafios enfrentados pelas mulheres no Iraque”, disse o vice-representante especial do secretário-geral para assuntos políticos, Gyorgy Busztin, que integrou o júri.

Além de Busztin, o júri independente foi composto pela chefe do Escritório de Informação Pública da ONU no país, Eliana Nabaa; pelo conselheiro político sênior da Missão de Assistência da ONU no Iraque (UNAMI) e ex-jornalista Hussain Hindawi; e pela representante da Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres (ONU Mulheres), Frances Guy.