ONU precisa ser reformada para cumprir seu papel no século 21, diz presidente da Assembleia Geral

Conselho de Segurança e Conselho Econômico e Social devem ser os principais alvos das reformas, segundo Joseph Deiss.

Presidente da Assembleia Geral da ONU, Joseph Deiss (direita), Secretária-executiva da ECLAC, Alicia Bárcena e o Ministro de relações internacionais do Chile, Alfredo MorenoOs principais órgãos das Nações Unidas, como o Conselho de Segurança e o Conselho Econômico e Social (ECOSOC), precisam ser reformados para que a ONU possa desempenhar, no século 21, seu legítimo papel na direção de uma governança global mais efetiva. A mensagem foi dada pelo Presidente da Assembleia Geral, Joseph Deiss, ao final de uma visita oficial ao Chile na última terça feira (09/08).

Em um seminário intitulado “As Nações Unidas na Governança Global”, Deiss defendeu a ONU como uma instituição guarda-chuva única no planeta, dada sua universalidade, legitimidade e base de valores. Ele também discutiu a integração regional na América Latina e se encontrou com o Coordenador Residente das Nações Unidas no país, Gary Stahl.

O evento foi organizado pelo governo chileno e pela Comissão Econômica das Nações Unidas para a América Latina e o Caribe (CEPAL).