ONU pede US$ 270 mi para prestar assistência a refugiados sírios

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Desde 2011, a guerra na Síria já expulsou 5,6 milhões de cidadãos do território para países vizinhos. Desse contingente, 2,6 milhões são crianças.

Cerca de 44 milhões de dólares são essenciais para que a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) não interrompa em novembro o auxílio financeiro à população refugiada. No Líbano e na Jordânia, 68% e 85% dos sírios, respectivamente, vivem abaixo da linha da pobreza.

Duas crianças pequenas brincam com uma caixa na cidade de Nubul, no norte da Síria. Foto: ACNUR/Hameed Marouf

Duas crianças pequenas brincam com uma caixa na cidade de Nubul, no norte da Síria. Foto: ACNUR/Hameed Marouf

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) afirmou neste mês que precisa com urgência de 270 milhões de dólares para manter a assistência humanitária a refugiados e deslocados internos sírios. Desde 2011, a guerra na Síria já expulsou 5,6 milhões de cidadãos do território para países vizinhos. Desse contingente, 2,6 milhões são crianças.

Para continuar com programas de transferência de renda, proteção, saúde e atividades nos abrigos, o ACNUR precisa suprir um rombo orçamentário de 196,5 milhões de dólares. A verba iria para ações na Turquia, Líbano, Jordânia, Iraque e Egito.

Sem apoio, pessoas em situação de refúgio recorrem a medidas desesperadas, como abandono escolar e desligamento dos sistemas de atendimento médico.

Cerca de 44 milhões de dólares são essenciais para que o ACNUR não interrompa em novembro o auxílio financeiro à população refugiada. No Líbano e na Jordânia, 68% e 85% dos sírios, respectivamente, vivem abaixo da linha da pobreza. O montante permitiria que mais de 456 mil refugiados continuassem pagando aluguel, suprindo necessidades diárias e acessando redes de saúde.

Outros 36 milhões de dólares são necessários para compensar o aumento dos custos com saúde. Sem recursos, existe o risco de falta de vacinas para crianças sírias. O financiamento garantiria a manutenção dos cuidados médicos para cerca de 35 mil refugiados na região, particularmente na Jordânia e no Líbano.

O organismo internacional também pede 73 milhões de dólares para atender às necessidades dos deslocados internos, que ainda estão em território sírio. O financiamento permitiria ajudar até 1,8 milhão de pessoas, que poderão receber itens básicos, abrigo, meios de subsistência, serviços de saúde e proteção, além de mantimentos para o inverno.

O ACNUR estima que são necessários 41,2 milhões de dólares para dar assistência urgente a 1,35 milhão de deslocados internos.

Recentemente, ataques aéreos à província de Idlib, no noroeste da Síria, forçaram mais de 38,8 mil indivíduos a deixar suas casas.

Preparação para o inverno

O ACNUR explica que 1,3 milhão de refugiados vulneráveis precisam urgentemente de apoio para enfrentar as baixas temperaturas do inverno. Os custos da resposta específica à estação chegam a 96 milhões de dólares.

O apelo também é necessário para manter outras iniciativas de assistência, como a regulamentação da documentação civil, proteção para crianças, prevenção e combate à violência sexual e de gênero e assistência legal.

Em 2018, o orçamento total do ACNUR para refugiados e deslocados sírios soma 1,97 bilhão de dólares. Até setembro, apenas 610 milhões haviam sido recebidos pela agência, o que representa somente 31% do solicitado à comunidade internacional.

Os 270 milhões de dólares representam apenas as necessidades mais urgentes e críticas da população síria. O valor integra a parcela não financiada do orçamento.


Mais notícias de:

Comente

comentários