ONU pede resolução pacífica de tensões pós-eleitorais em Bangladesh

Após episódios de violência letal antes, durante e após as eleições em Bangladesh, a ONU pediu que queixas associadas ao pleito sejam resolvidas “de maneira pacífica e por meios legais”. A votação no país asiático aconteceu no domingo (30). Pela primeira vez em dez anos, a oposição participou do processo eleitoral.

Sheikh Hasina, primeira-ministra de Bangladesh, durante pronunciamento na plenária da Assembleia Geral da ONU. Foto: ONU/Cia Pak
Sheikh Hasina, primeira-ministra de Bangladesh, durante pronunciamento na plenária da Assembleia Geral da ONU. Foto: ONU/Cia Pak

Após episódios de violência letal antes, durante e após as eleições em Bangladesh, a ONU pediu que queixas associadas ao pleito sejam resolvidas “de maneira pacífica e por meios legais”. A votação no país asiático aconteceu no domingo (30). Pela primeira vez em dez anos, a oposição participou do processo eleitoral.

De acordo com a imprensa internacional, a primeira-ministra Sheikh Hasina venceu as eleições com uma vitória esmagadora, que lhe rendeu um terceiro mandato. A oposição rejeitou o resultado e considerou que a votação foi manipulada.

A ONU disse na segunda-feira (31) que estava ciente dos casos de violência e dos relatos de irregularidades nas eleições do final de semana. O organismo também elogiou a participação da oposição, lembrando que isso não acontecia há dez anos.

“Lamentamos a perda de vida e os ferimentos sofridos por candidatos e eleitores durante a campanha eleitoral e no dia da eleição”, afirmou o escritório do porta-voz das Nações Unidas.

A ONU pediu ainda que todos os lados se contenham e “garantam um ambiente pós-eleitoral pacífico”, onde as pessoas possam manter seu direito à reunião e à expressão.

Ressaltando que “a violência e ataques às pessoas e à propriedade não são aceitáveis”, a ONU pediu que as partes resolvam queixas eleitorais “de maneira pacífica e por meios legais”.



Comente

comentários