ONU pede recursos para palestinos deslocados por conflito na Síria e nos territórios ocupados

Agência da ONU de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA) lançou apelo internacional por 813 milhões de dólares para financiar a ajuda emergencial à crise nos territórios ocupados palestinos, incluindo Jerusalém Oriental. Verba também se destinará a atender as necessidades de refugiados palestinos afetados pelo conflito na Síria, incluindo os que estão deslocados no Líbano e na Jordânia.

A Agência da ONU de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA) lançou na segunda-feira (9) um apelo internacional por 813 milhões de dólares para financiar a ajuda emergencial à crise nos territórios ocupados palestinos, incluindo Jerusalém Oriental.

Além disso, a verba também se destinará a atender as necessidades de refugiados palestinos afetados pelo conflito na Síria, incluindo os que estão deslocados no Líbano e na Jordânia.

Segundo a agência da ONU, dos 813 milhões necessários, 404 milhões de dólares serão designados aos refugiados da Palestina em Gaza e na Cisjordânia, incluindo Jerusalém Oriental.

A assistência vai permitir que cerca 1 milhão de pessoas continuem sendo beneficiadas com a ajuda alimentar de emergência; possibilitará que mais de 6,5 mil famílias que perderam suas casas durante os combates em 2014 recebam assistência de aluguel; e apoiará reformas de mais de 50 mil famílias cujas casas foram danificadas ou destruídas.

Entre os refugiados no território palestino ocupado, a taxa de desemprego é de 43,2% em Gaza e de 19,5% na Cisjordânia. Centenas de milhares de pessoas têm insegurança alimentar, e as crianças, especialmente as de Gaza, necessitam de apoio psicossocial devido a traumas.

Já o apelo de emergência da agência para a crise na Síria, com valor de 411 milhões de dólares, busca fornecer assistência humanitária, proteção e serviços básicos para 430 mil refugiados palestinos dentro da Síria, assim como para mais de 30 mil que estão no Líbano e 17 mil que fugiram para a Jordânia.

Segundo o comissário-geral da UNRWA, Pierre Krähenbühl, refugiados palestinos estão entre os mais afetados pelo conflito. Mais de 95% dos que ainda permanecem na Síria estão em necessidade crítica de ajuda humanitária.

Ele observou ainda que, no Líbano, 50% dos refugiados vivem em acampamentos e 85% das pessoas que moram na Jordânia são classificadas como vulneráveis ou extremamente vulneráveis.

“Um total de 1,6 milhão de refugiados da Palestina, que estão mais inseguros do que nunca e cujas necessidades estão crescendo, exigem nossa ação imediatamente. Eu apelo por uma urgente e generosa contribuição da comunidade internacional”, frisou Krähenbühl.

A UNRWA é o maior fornecedor direto de assistência a refugiados palestinos afetados pelo conflito na Síria. Ações incluem assistência em dinheiro, água e saneamento, comida, abrigo, saúde, educação, meios de subsistência e proteção.