ONU pede que autoridades rivais sul-sudanesas cumpram acordo de paz assinado

Secretário-geral da ONU pediu por telefone que o atual e o ex-vice-presidente do Sudão do Sul se reúnam para pôr fim “imediato” às hostilidades em curso e a todas as operações militares no país.

Atual presidente do Sudão do Sul, Salva Kiir. Foto: ONU/Isaac Billy

Atual presidente do Sudão do Sul, Salva Kiir. Foto: ONU/Isaac Billy

Nesta quarta-feira (4), o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu ao presidente do Sudão do Sul, Salva Kiir, e o ex-vice-presidente, Riek Machar, que se reunissem na próxima segunda-feira (9), com objetivo de acabar com os conflitos que ainda assolam o país.

A reunião é parte de um acordo assinado em 9 de maio por ambos os líderes sul-sudaneses, que assumiram o compromisso de se reunir mensalmente para analisar o progresso das ações implementadas.

Em uma ligação telefônica com o presidente Kiir, Ban expressou “grave preocupação” com as hostilidades em curso e pediu o fim “imediato” de todas as operações militares no país, em um comunicado emitido pelo seu porta-voz. Posteriormente, em conversa com Machar, ele reiterou a necessidade de ambas as partes de cumprir esse acordo.

Os conflitos no país já causaram o deslocamento de 1 milhão de pessoas, incluindo cerca de 80 mil civis que buscam segurança na bases de paz da ONU em todo o país.

Além disso, Ban Ki-moon pediu ao atual presidente para estender o seu total apoio à Missão da ONU no Sudão do Sul (UNMISS) que, no momento, está implementando um novo mandato. A missão estenderá seu atual trabalho até 30 de novembro e continuará priorizando a proteção dos civis e enfrentando a segurança, a crise humanitária e política que tomou conta do país nos últimos meses.