ONU pede que autoridades paraguaias garantam liberdade de manifestação

Escritório regional do ACNUDH disse estar acompanhando os acontecimentos no Paraguai e pediu que todas as partes evitassem atos de violência. Foto: EBC

O representante regional para a América do Sul do Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH), Amerigo Incalcaterra, lamentou os incidentes violentos ocorridos no contexto das recentes manifestações no Paraguai, em meio à aprovação de uma emenda constitucional que permite a reeleição presidencial no país.

Nesse sentido, o representante regional do ACNUDH chamou as autoridades a garantir a liberdade de expressão e de manifestação. “O Estado deve garantir em todo o momento o devido exercício do direito de reunião pacífica e o direito à liberdade de opinião e expressão. Estes são direitos fundamentais e indispensáveis para o fortalecimento de uma democracia”, afirmou Incalcaterra.

Incalcaterra declarou que o escritório regional está acompanhando os acontecimentos no país e pediu que todas as partes evitassem atos de violência. “Faço um chamado aos líderes políticos a evitar incitar a violência e a buscar o diálogo. A violência não é um caminho válido para exigir direitos, pelo que condenamos todo ato de violência nesse contexto”, afirmou.

Segundo informações da imprensa internacional, um manifestante morreu atingido por tiro da polícia, enquanto dezenas ficaram feridos nos protestos contra a aprovação de uma emenda constitucional.

O representante do ACNUDH pediu que as autoridades “assegurem o Estado de direito, o que é crucial para o funcionamento da democracia e para garantir os direitos humanos”.