ONU pede participação das pessoas com deficiência na vida política, social e cultural

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Em mensagem para o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, observado neste 3 de dezembro, a diretora-geral da UNESCO, Audrey Azoulay, defendeu a participação dessa população na vida política, social e cultural, “para construir um mundo que seja pluralista, aberto, participativo”.

Também por ocasião da data, o administrador do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Achim Steiner, ressaltou que garantir os direitos das pessoas com deficiência é fundamental para cumprir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Salahdin Abdurrahman Khissan, de 17 anos, caminha em Darfur. O jovem estuda Psicologia na universidade. Foto: ONU/Albert González Farran

Salahdin Abdurrahman Khissan, de 17 anos, caminha em Darfur. O jovem estuda Psicologia na universidade. Foto: ONU/Albert González Farran

Em mensagem para o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, observado neste 3 de dezembro, a diretora-geral da UNESCO, Audrey Azoulay, defendeu a participação dessa população na vida política, social e cultural, “para construir um mundo que seja pluralista, aberto, participativo”. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que mais de 1 bilhão de indivíduos vivam com alguma forma de deficiência no planeta.

Azoulay afirmou que a data “é uma oportunidade para renovarmos nosso compromisso de trabalhar pela inclusão e pelo empoderamento por meio da educação, das ciências, da cultura, da comunicação e da informação”. Em 2018, o tema do dia internacional é “Empoderando pessoas com deficiência e assegurando a inclusão e a igualdade”.

A dirigente lembrou o número crescente de países que ratificaram a Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência — 177, no total. Mas a conquista deve ser celebrada com cautela. “As pessoas com deficiência continuam a enfrentar discriminação, violência, estigma e exclusão”, alertou a chefe da agência da ONU.

Segundo Azoulay, “soluções inovadoras em todas as esferas da sociedade são urgentemente necessárias para abordar a extrema vulnerabilidade” vivida por esse segmento da população. “Crianças e adolescentes com deficiências têm maior probabilidade de estar fora da escola ou de abandonar a escola antes de concluírem o ensino primário”, acrescentou a autoridade máxima da UNESCO.

Na avaliação da ex-ministra da Cultura da França, é preciso garantir o acesso à formação educacional e profissional. “Um melhor acesso à informação, ao conhecimento e aos serviços é outro vetor para inclusão, com soluções digitais inovadoras e tecnologias de recursos que dão às pessoas mais autonomia sobre suas vidas”, disse Azoulay.

“Neste ano, quando celebramos o 70º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, a inclusão, a participação e o empoderamento de todas as pessoas, incluindo aquelas com deficiência, nunca foi tão importante. Trata-se de igualdade de direitos e dignidade – trata-se de construir um futuro melhor para todos”, completou a dirigente.

Inclusão e desenvolvimento sustentável

Também por ocasião da data, o administrador do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Achim Steiner, ressaltou que garantir os direitos das pessoas com deficiência é fundamental para cumprir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

“De fato, para concretizar a promessa da Agenda 2030, e seu principal compromisso de não deixar ninguém para trás, é essencial que todas as pessoas, particularmente aquelas que enfrentam discriminação e exclusão, tenham acesso e voz e possam participar igualmente de todos os aspectos da vida”, ressaltou o dirigente.

“Estamos levando adiante uma série de iniciativas dentro do PNUD para ajudar a reduzir barreiras e promover um ambiente propício para a empregabilidade, a retenção e uma colaboração mais próxima das pessoas com deficiência.”

Para marcar o dia internacional, o PNUD lançou uma publicação sobre como promover desenvolvimento socioeconômico de maneira inclusiva, levando em conta a população com deficiência. O documento apresenta experiências práticas que a agência da ONU implementa em diferentes países a fim de garantir participação e acessibilidade para esses indivíduos.

Acesse a nota técnica do PNUD clicando aqui.


Mais notícias de:

Comente

comentários