ONU pede às autoridades turcas para combater a violência e discriminação contra pessoas LGBT

“Somente nas últimas duas semanas, incidentes incluem o surgimento de cartazes em Ancara encorajando o assassinato de pessoas LGBT e um ataque homofóbico violento contra um grupo de jovens gays em Istambul”, disse o porta-voz do Escritório de Direitos Humanos da ONU.

Foto: UNAIDS

Foto: UNAIDS

O Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) expressou grande preocupação sobre os ataques e incitamento a violência contra pessoas lésbicas, gays, bissexuais e transexuais (LGBT) na Turquia e pediu às autoridades que tomem medidas para combater a violência e discriminação homofóbica e transfóbica, disse o porta-voz do Alto Comissariado, Rupert Colville, nesta terça-feira (14).

“Somente nas últimas duas semanas, incidentes relatados incluem o surgimento de cartazes em Ancara encorajando o assassinato de pessoas LGBT, um ataque homofóbico violento contra um grupo de jovens gays em Istambul, bem como estupro, assalto e roubo contra Kemal Ördek, um defensor dos direitos humanos e fundador da Associação de Direitos Humanos e Saúde Sexual Guarda-Chuva Vermelho”, disse Colville para jornalistas, em Genebra.

Além disso, Colville declarou que estes incidentes aconteceram após relatos de que a polícia usou força injustificada contra os indivíduos que pacificamente produziram e participaram da 13ª Parada do Orgulho LGBT em Instambul.