ONU pede mais ação para reduzir pobreza na África e alcançar desenvolvimento sustentável

Apesar de ser a segunda região que mais cresce no mundo, continente tem taxas de pobreza, escassez de alimentos e deficiência de nutrientes em índices “perturbadores”, afirma secretário-geral.

Escola primária em Uganda. Acesso global à educação é um dos ODM. Foto: Banco Mundial/Arne Hoel

Este é o momento para os países africanos e a comunidade internacional impulsionarem atividades para atingir os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) e criar uma agenda de desenvolvimento sustentável universal, afirmou o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, na sexta-feira (23) em Seul, Coreia do Sul.

Ban ressaltou que, apesar de a África ser a segunda região que mais cresce no mundo, as taxas de pobreza, a escassez de alimentos e a deficiência de nutrientes ainda são “perturbadoras”. O secretário-geral notou que as alterações climáticas e os desastres naturais têm impacto negativo sobre a pesca, pecuária, agricultura e turismo, apresentando desafios que demandam soluções integradas.

Ban emitiu no início da semana passada o relatório “Uma vida digna para todos”, que define sua visão para aumentar os esforços para atingir os ODM e a agenda de desenvolvimento sustentável pós-2015.

O documento pede um conjunto mais amplo de metas que reflitam os novos desafios globais e considerem as novas realidades econômicas e os avanços tecnológicos. As metas devem ser mensuráveis, adaptáveis ao ambiente global e local e devem, principalmente, proporcionar novas oportunidades econômicas enquanto aumentam a justiça social e a proteção ao meio ambiente.