ONU pede maior proteção a civis no Afeganistão

As Nações Unidas destacaram a necessidade de que todas as partes envolvidas no conflito no Afeganistão assegurem a proteção de civis após relatos de incidentes que deixaram dezenas de mortos e feridos na província sul de Helmand.

Chefe da Missão da ONU no Afeganistão Staffan Mistura. Foto: ONU.As Nações Unidas destacaram a necessidade de que todas as partes envolvidas no conflito no Afeganistão assegurem a proteção de civis após relatos de incidentes que deixaram dezenas de mortos e feridos na província sul de Helmand. A Força Internacional de Assistência à Segurança (ISAF, na sigla em inglês) e o Governo Afegão estão investigando o incidente em Rege ocorrido no dia 23 de julho em que mais de 50 civis, incluindo mulheres e crianças, foram mortos.

O chefe da Missão das Nações Unidas de Assistência para o Afeganistão (UNAMA), Staffan de Mistura, declarou ser essencial que as investigações sejam abrangentes, transparentes e rápidas, e que os resultados sejam divulgados ao público o quanto antes. O escritório de direitos humanos da UNAMA, que é focado em atenuar os efeitos do conflito em civis, também está coletando informações sobre o assunto.

A Missão enfatizou que todos os envolvidos em um conflito armado possuem responsabilidades perante a lei internacional de proteger civis e minimizar o impacto de suas ações na população e instalações como escolas e hospitais. Um relatório da ONU divulgado em janeiro mostrou que 2009 foi o ano mais fatal para civis até o momento, com um aumento de 14% de mortes em relação ao ano anterior. O documento também apontou que forças anti-governo são responsáveis pela maior proporção de mortes civis.