ONU pede ‘contenção máxima’ após troca de tiros na fronteira entre Israel e Líbano

Ataque com foguetes neste domingo (29) contra Israel, partindo do sul do Líbano, gerou reação imediata das forças israelenses. Comandante de missão da ONU já está em contato com as partes.

Foto: UNIFIL

Foto: UNIFIL

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu “máxima contenção” a todos os lados após um ataque com foguetes ocorrido neste domingo (29) em Israel, partindo do sul do Líbano, seguido por ataque das Forças de Defesa de Israel (IDF).

De acordo com a Força Interina das Nações Unidas no Líbano (UNIFIL), dois foguetes disparados a partir da área de El Khiam, no sul do Líbano, por volta das sete da manhã na hora local, atingiram a região de Kiryat Shimona, no norte de Israel. O forças israelenses revidaram com 32 rodadas de artilharia contra a área de onde os foguetes tiveram origem.

Segundo as Nações Unidas, não há vítimas ou danos relatados em ambos os lados. Além disso, ninguém reivindicou imediatamente a responsabilidade pelo ataque de foguetes. A UNIFIL, em cooperação com as Forças Armadas Libanesas (LAF), estão investigando o incidente.

“O secretário-geral aprecia a cooperação de ambas as autoridades libanesas e israelenses com os esforços da UNIFIL para evitar uma nova escalada a partir deste incidente, bem como o seu compromisso contínuo com o fim das hostilidades ao longo da Linha Azul (fronteira israelense-libanesa)”, disse o porta-voz de Ban Ki-moon em um comunicado.

“O secretário-geral insta todos os atores a exercer a máxima contenção e prevenir novos incidentes com potencial desestabilizador na região.”

O comandante da Força da ONU, Paolo Serra, que entrou imediatamente em contato com os comandos da LAF e IDF, também instou as partes a exercer a máxima contenção para evitar qualquer situação desestabilizadora.

“Este é um incidente muito grave, em violação à resolução 1701 do Conselho de Segurança da ONU, e tem o claro objetivo de minar a estabilidade da região”, disse o chefe da UNIFIL, referindo-se à resolução que pôs fim à guerra de 2006 entre Israel e o grupo libanês Hezbollah.

“O primeiro imperativo da UNIFIL é garantir que não haja uma nova escalada da situação e eu tenho certeza sobre a plena cooperação das partes com a UNIFIL neste esforço e de seu compromisso contínuo para a cessação das hostilidades.”

Ele acrescentou que as forças de paz da ONU no terreno estão trabalhando com as forças libanesas para reforçar a segurança e localizar o lugar de lançamento de foguetes. A UNIFIL também intensificou suas patrulhas em toda a sua área de atuação para evitar novos incidentes.

Fundada em 1978, a UNIFIL tem a tarefa de garantir que a área entre a Linha Azul e o rio Litani esteja livre de armas, pessoal e bens não autorizadas. Também coopera com a LAF para garantir o cumprimento de suas responsabilidades de segurança.