ONU pede a países que incluam garantia de acesso a água na agenda de desenvolvimento

Comunicado destaca necessidade de atenção especial para mulheres e meninas, que são desproporcionalmente afetadas pela falta de serviços.

Coleta de água na região de Zanzan, Costa do Marfim. Foto: UNICEF/AsselinA ONU e seus parceiros apelaram na quinta-feira (21) à comunidade internacional para priorizar a garantia do acesso a água e saneamento para as populações vulneráveis na agenda de desenvolvimento “pós-2015”, enfatizando que isso ajudaria no combate à desigualdade e na promoção dos direitos humanos e sustentabilidade.

“A agenda de desenvolvimento futuro deve visar ao enfrentamento do mais persistente de todos os desafios: desigualdades no acesso a serviços essenciais para realizar os direitos das pessoas”, registrou comunicado conjunto do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF); da Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres (ONU Mulheres); da Relatora Especial da ONU para Água e Saneamento, Catarina de Albuquerque; da Finlândia e da organização Water Aid.

“Fundamentalmente, entre estes serviços essenciais, deve-se mirar o direito para qualquer pessoa a ter igualdade de acesso a água, saneamento e higiene. Uma atenção especial deve ser dada às mulheres e meninas, que são desproporcionalmente afetadas pela falta desses serviços”, acrescentou a declaração.

O grupo afirmou que os países devem aproveitar as lições aprendidas com o trabalho em prol das metas antipobreza conhecidas como Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), que devem ser cumpridos até 2015.

“Às vésperas das consultas sobre a agenda de desenvolvimento pós-2015, acreditamos que o mundo deve alcançar e desenvolver os ODM, mas deve também criar metas ainda mais ambiciosas. Os objetivos devem criar incentivos para a mudança – uma mudança que vai atingir toda mulher, homem, menino e menina”, diz o documento.


Comente

comentários