IPC-IG/PNUD

IPC-IG/PNUDO Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (IPC-IG/PNUD) é um fórum global que promove o diálogo Sul-Sul e facilita o aprendizado sobre políticas inovadoras de desenvolvimento.

Resultado de uma parceria entre o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o governo brasileiro – representado pela Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República (SAE/PR) – o IPC-IG promove a produção e disseminação de estudos e recomendações em políticas públicas, o intercâmbio de boas práticas e iniciativas de cooperação Sul-Sul e desenvolvimento.

A voz para o crescimento inclusivo do Sul global para o Sul global

Integrantes da Associação de Mulheres Autônomas do Bengal Oeste – SEWA (sigla em inglês), um movimento sindical de mulheres autônomas que crê que os direitos humanos das mulheres não serão atingidos sem empoderamento econômico e possibilidade de auto-sustento. Tem mais de 1 milhão de membros em 9 estados indianos e possibilitou a milhares de mulheres se organizarem, emergir da pobreza, bem como promover e proteger suas possibilidades de emprego na Índia. Foto: IPC-IG/PNUD.

Integrantes da Associação de Mulheres Autônomas do Bengal Oeste – SEWA (sigla em inglês), um movimento sindical de mulheres autônomas que crê que os direitos humanos das mulheres não serão atingidos sem empoderamento econômico e possibilidade de auto-sustento. Tem mais de 1 milhão de membros em 9 estados indianos e possibilitou a milhares de mulheres se organizarem, emergir da pobreza, bem como promover e proteger suas possibilidades de emprego na Índia. Foto: IPC-IG/PNUD.

O IPC-IG foi fundado em 2004 e, desde 2013, recebe apoio operacional do escritório do PNUD no Brasil, cujo representante residente é também diretor do Centro. O Intituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) hospeda o IPC-IG e seus pesquisadores contribuem substancialmente para as atividades do Centro.

O IPC-IG já disseminou mais de 1.000 publicações de pesquisa que fornecem recomendações sobre diversos tópicos relacionados a estratégias de crescimento inclusivo.

O Centro estabeleceu e consolidou uma rede global que abrange 189 países e alcança mais de 37.000 pessoas e organizações que trabalham com temas similares em governos, academia, Nações Unidas e organizações da sociedade civil. Os workshops, visitas de estudo e treinamentos organizados pelo IPC-IG já envolveram mais de 7.000 representantes de cerca de 50 países em desenvolvimento.

O website do IPC-IG recebe em média 160.000 visitas por mês oriundas de mais de 170 países.

O que é crescimento inclusivo?

O conceito de crescimento inclusivo está relacionado à garantia de oportunidades para que todos possam participar do processo de crescimento, ao mesmo tempo em que participam da distribuição dos benefícios.

Para ser inclusivo, o crescimento deve beneficiar a todos, ao mesmo tempo que reduz as desvantagens e desigualdades enfrentadas pelos mais pobres, em termos de benefícios e, principalmente, em termos de acesso às oportunidades de participação no processo de crescimento.

Missão

A missão do PNUD e do IPC-IG é promover o diálogo e facilitar o aprendizado entre países em desenvolvimento sobre políticas sociais inovadoras que levam ao crescimento inclusivo. As contribuições do IPC-IG giram em torno de quatro áreas principais:

  1. Produção de pesquisas em políticas sociais;
  2. Construção e gestão de uma rede de conhecimento em políticas de desenvolvimento;
  3. Facilitação e promoção de diálogos em políticas sociais entre países em desenvolvimento, e com grupos regionais e sub-regionais;
  4. Promoção do uso de ferramentas de comunicação e advocacy para engajamento com organizações e especialistas nos países em desenvolvimento.

Parceiros

O IPC-IG tem parceiros nacionais e internacionais que realizam suas atividades através de acordos específicos ou colaboração mútua. São eles: o Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Banco Mundial, PNUD (Cabo Verde), Programa Mundial de Alimentos (PMA), UNICEF (Iêmen e MENARO), ONU Mulheres, FAO, DFAT – Departamento de Relações Exteriores do Governo da Austrália, DFID, GiZ, Banco Africano de Desenvolvimento, CEPAL, ESCAP, agências das Nações Unidas no Brasil e outras entidades da sociedade civil, organizações internacionais e bilaterais.

Áreas de Trabalho

Área 1: Proteção Social

  • Desenho e Avaliações de Impacto de programas de proteção social em países em desenvolvimento;
    Análise de políticas para a segurança alimentar e apoio a pequenos agricultores.

Área 2: População e Políticas Sociais

  • Assentamentos humanos, grupos sociais e equidade;
    Padrões de Vida e Monitoramento e Avaliação de estratégias para a redução da pobreza.

Área 3: Aprendizado Sul-Sul – Gerenciamento e Compartilhamento de Conhecimento

  • Organização de visitas de estudo e seminários internacionais com foco em aprendizado Sul-Sul;
  • Apoio ao fortalecimento das capacidades nacionais de avaliação;
  • Plataformas e fóruns online;
  • Estratégias para engajamento e advocacy;
  • Programas de estágio e de pesquisadores visitantes.

Contatos

  • Setor Bancário Sul Quadra 1, Bloco J, Ed. BNDES, 13º andar – UNDP/IPC-IG, Brasilia-DF, Brasil, CEP 70076-900
  • (61) 2105-5000
  • ipc(arroba)ipc-undp.org
  • http://www.ipc-undp.org/

Acesse informações sobre os demais organismos vinculados ao PNUD Brasil em nacoesunidas.org/agencia/pnud