ONU não encontra evidências que provem alegações de estupro de 200 mulheres no Sudão

Foto: UNAMID

A Operação Híbrida da União Africana e das Nações Unidas em Darfur (UNAMID) afirmou nesta segunda-feira (10) que não encontrou evidências e nem informações que confirmasse as alegações de um suposto estupro em massa de 200 mulheres e meninas em uma cidade no norte de Darfur, no Sudão. 

Após conseguir liberação para investigar no local, a Operação disse que a equipe responsável, incluindo representantes de policiais, militares e civis, entrevistou vários moradores no vilarejo de Tabit para averiguar a veracidade dos relatos da mídia na semana passada. 

Líderes comunitários, professores e alunos, homens e mulheres comuns foram questionados, inclusive o Comandante das Forças Armadas do Sudão. Na ocasião, os líderes comunitários reiteraram que “coexistem pacificamente” com as autoridades militares locais na área. 

UNAMID disse que pretende realizar mais ações de acompanhamento sobre o assunto, incluindo eventuais investigações e patrulhas adicionais, em cooperação com as autoridades competentes de acolhimento e conforme o status do Acordo entre as forças do governo do Sudão e da UNAMID.

A ONU estima que cerca de 385 mil pessoas foram deslocadas pelo conflito entre o governo do Sudão e os grupos armados em Darfur desde o início de 2014.