ONU Mulheres revela primeiros resultados de projeto de prevenção à violência no Rio de Janeiro

Aplicativo de celular produz evidências sobre violência contra meninas e mulheres em lugares públicos. Segundo a agência, na cidade do Rio, 17 mulheres são estupradas todos os dias e 89% das pessoas têm um aparelho de celular.

Comitê Executivo da ONU Mulheres. Foto: ONU Mulheres

Comitê Executivo da ONU Mulheres. Foto: ONU Mulheres

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

[audio:http://downloads.unmultimedia.org/radio/pt/ltd/mp3/2013/1309201.mp3%5D

Um projeto da ONU Mulheres no Rio de Janeiro ganhou destaque na sessão regular do Comitê Executivo da entidade. Segundo a agência, na cidade do Rio, 17 mulheres são estupradas todos os dias e 89% das pessoas têm um aparelho de celular.

Com esses dados, a ONU Mulheres lançou, em março, um aplicativo para ajudar mulheres e meninas a identificar, reportar e prevenir a violência em lugares públicos.

Na reunião do Comitê Executivo, a representante da entidade no Brasil, Nadine Gasman, descreveu como o balanço da segurança feminina na capital fluminense está sendo feito com o aplicativo para celulares.

Segundo a ONU Mulheres, o programa produz evidência sobre casos de violência de gênero. A informação é então mapeada geograficamente e, assim, ajuda na prevenção de outros incidentes. Até agora, já foram produzidos dez mapas, que estão ao alcance das comunidades.

Gasman afirma que desde o lançamento do projeto, 300 pessoas foram treinadas para identificar e lidar com questões baseadas na violência contra mulheres e meninas.

Para a diretora-executiva da ONU Mulheres, Phumzile Mlambo-Ngcuka, é “inspirador” ver como estratégias baseadas na tecnologia da informação estão sendo usadas de forma eficiente.