ONU Mulheres e Ancine firmam aliança pela igualdade de gênero no audiovisual

A ONU Mulheres e a Agência Nacional do Cinema (ANCINE) criaram recentemente a Aliança por um Audiovisual 50-50, que vai promover a igualdade de gênero na realização audiovisual do Brasil. A parceria quer garantir que mais mulheres ocupem funções de liderança nas áreas de produção, comercialização e distribuição. Outro objetivo é combater discriminações de gênero, raça e etnia na indústria.

Ana Carolina Querino, representante interina da ONU Mulheres no Brasil, e Débora Ivanov, diretora da ANCINE, assinaram parceria para fomentar igualdade de gênero na indústria de audiovisual. Foto: Andréia Naomi

Ana Carolina Querino, representante interina da ONU Mulheres no Brasil, e Débora Ivanov, diretora da ANCINE, assinaram parceria para fomentar igualdade de gênero na indústria de audiovisual. Foto: Andréia Naomi

A ONU Mulheres e a Agência Nacional do Cinema (ANCINE) criaram recentemente a Aliança por um Audiovisual 50-50, que vai promover a igualdade de gênero na realização audiovisual do Brasil. A parceria quer garantir que mais mulheres ocupem funções de liderança nas áreas de produção, comercialização e distribuição. Outro objetivo é combater discriminações de gênero, raça e etnia na indústria.

“Esperamos que o audiovisual brasileiro possa ter cada vez mais produções livres de estereótipo, que promovam a igualdade e representem as mulheres em sua diversidade. E que haja cada vez mais mulheres na indústria audiovisual, principalmente em posições de liderança e tomada de decisão”, defende a representante interina da ONU Mulheres no Brasil, Ana Carolina Querino.

Débora Ivanov, diretora da ANCINE, explica que a cooperação com o organismo internacional busca “criar uma indústria audiovisual diversa e inclusiva, onde as oportunidades estejam abertas a todos os talentos”.

Entre as ações previstas no marco da Aliança, estão o compartilhamento e a produção de estudos para compreender as desigualdades de gênero, raça e etnia no setor audiovisual. As pesquisas devem investigar as causas do problema e apontar possíveis soluções.

A parceria inclui ainda a realização de capacitações sobre o tema e a criação de campanhas de conscientização. Outro eixo da Aliança será a promoção de seminários, mostras e festivais sobre igualdade de gênero.

A ONU no audiovisual

A ONU Mulheres vai incentivar parcerias de mídia e comunicação para produzir pesquisas e promover atividades alinhadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS) na indústria audiovisual. O foco será o ODS nº 5 – alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as meninas e mulheres. A organização também deverá apoiar iniciativas do Estado brasileiro para o audiovisual.

Com base nos Princípios de Empoderamento das Mulheres, a agência da ONU oferecerá às empresas do setor orientações sobre como alcançar a igualdade de gênero e adotar práticas corporativas que valorizem as mulheres e promovam a sua presença em espaços de poder e decisão.

A instituição das Nações Unidas promoverá ainda a incorporação da ANCINE em campanhas globais pela igualdade, como a iniciativa ElesPorElas – HeForShe, a Aliança Sem Estereótipo, a estratégia Planeta 50-50 e as campanhas Vidas Negras, Livres e Iguais e UNA-SE.

A ANCINE vai dar visibilidade à importância da igualdade de gênero, raça e etnia na indústria e a iniciativas para a superação de disparidades. Outro compromisso da agência será visibilizar esse debate por meio do audiovisual, discutindo suas consequências econômicas e sociais.

A agência promoverá a formulação de políticas públicas sobre o tema, além de incluir estratégias corporativas para a igualdade na própria agência, tornando-se referência nacional e internacional na indústria audiovisual.