ONU lança iniciativa para fortalecer esforços municipais contra a malária nas Américas

Crianças protegidas por tela antimalária na República Dominicana. Foto: OMS/OPAS

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) lançou neste mês uma iniciativa para fortalecer os esforços municipais contra a malária nas Américas. Projeto ressalta papel de políticas públicas locais para enfrentar a doença. Em 2017, 50% de todos os casos notificados da infecção na região ocorreram em apenas 25 municípios.

A OPAS estima que, em cada país, de 25% a 70% de todos os episódios da doença estejam concentrados em não mais do que três municípios. Nas Américas, a malária ainda é endêmica em 19 nações e territórios. Os casos da enfermidade aumentaram 26% no ano passado. Segundo a agência da ONU, na região, em torno de 108 milhões de pessoas vivem em risco de contrair a infecção.

O projeto Municípios eliminando a malária é parte das ações da OPAS para ajudar governos a erradicar a patologia. A iniciativa vai apoiar os municípios a melhorar medidas de vigilância e monitoramento, além de aprimorar o acesso ao diagnóstico e tratamento precoces. O programa também vai capacitar e conscientizar as comunidades sobre os perigos da doença e meios de preveni-la.

“Está claro que agir onde o problema é mais concentrado é crucial para atingir as metas de eliminação da malária com as quais os países se comprometeram”, disse Marcos Espinal, diretor do Departamento de Doenças Transmissíveis e Determinantes Ambientais da Saúde da OPAS.

“Organizações, cidadãos e autoridades do governo local devem estar envolvidas no desenvolvimento de intervenções-chave para a eliminação em nível municipal, se quisermos garantir que ninguém seja deixado para trás.”

O Relatório Mundial da Malária de 2018, da Organização Mundial da Saúde (OMS), ressalta que o progresso no combate à doença estagnou entre 2015 e 2017 no nível global.

Nas Américas, embora os países tenham assumido oficialmente compromissos com a eliminação, o apoio e os recursos locais ainda são inadequados em muitas áreas onde a transmissão permanece.

A iniciativa da OPAS foi lançada por ocasião do Dia Mundial da Malária, lembrado em 25 de abril. Em 2019, a data tem o tema Malária zero começa comigo, que ressalta a necessidade de orientar as comunidades para que se apropriem das metas, desafios e respostas à doença. Somente lidando com a malária no nível comunitário, será possível acabar com a doença.

Premiação terá foco municipal

Em seu 11º ano, o prêmio Campeões contra a Malária nas Américas, que homenageia as melhores práticas para combater a doença, servirá como uma plataforma para a promoção da nova iniciativa.

“Além de reconhecer os esforços para lidar com a malária, também devemos oferecer um foco renovado na fronteira final da eliminação nas Américas – municípios de ocorrência elevada (da doença)”, enfatiza Espinal.

A OPAS lançou uma chamada para que países indiquem um município que possa fazer parte do movimento. A seleção dará prioridade a cidades com altos níveis da doença e que estão comprometidas em termos de esforços e intenções. As indicações serão aceitas até 24 de maio de 2019.

Nos próximos anos, a OPAS vai trabalhar com esses municípios no combate à doença. “Nossa esperança é de que a criação desta iniciativa nos ajude a dar origem a uma nova geração de campeões da malária”, acrescentou Espinal.