ONU lança fundo global para vítimas de violência sexual em conflito

Em evento comemorativo aos 10 anos do mandato do Conselho de Segurança para ajudar a prevenir violência sexual em conflito, a ONU lançou um fundo global para vítimas. A cerimônia aconteceu na sede da ONU nesta quarta-feira (30), em Nova Iorque.

Os vencedores do prêmio Nobel da Paz Nadia Murad e Dennis Mukwege participaram no evento. Nadia foi a primeira vítima de tráfico a servir como embaixadora da Boa Vontade da ONU, depois de ter sido sequestrada pelo grupo terrorista Estado Islâmico do Iraque e do Levante. Dennis Mukwege é um médico congolês que se especializou no tratamento de mulheres violadas por milícias durante a guerra civil.

Naledi Pandor, ministra da África do Sul, Nadia Murad, Nobel da Paz, Pramila Patten, representante especial do secretário-geral para violência sexual em conflito, e Denis Mukwege, Nobel da Paz. Foto: Mark Garten/ONU

Naledi Pandor, ministra da África do Sul, Nadia Murad, Nobel da Paz, Pramila Patten, representante especial do secretário-geral para violência sexual em conflito, e Denis Mukwege, Nobel da Paz. Foto: Mark Garten/ONU

Em evento comemorativo aos 10 anos do mandato do Conselho de Segurança para ajudar a prevenir violência sexual em conflito, a ONU lançou um fundo global para vítimas. A cerimônia aconteceu na sede da ONU nesta quarta-feira (30), em Nova Iorque, e contou com a participação de autoridades e vencedores do prêmio Nobel da Paz.

A vice-secretária-geral da ONU, Amina Mohammed, afirmou que o mandato para o tema é uma mensagem clara de que a violência sexual durante períodos de turbulência e conflito não é um efeito colateral inevitável, mas uma violação horrenda de direitos humanos e legislação internacional. Ela disse que a comunidade internacional intensificou o ativismo e a ação para acabar com estupros em tempos de guerra e a estigmatização dos sobreviventes, que são ameaças para a segurança e a paz inclusiva.

Amina lembrou que nos últimos anos a ONU respondeu às demandas das vítimas e sobreviventes criando normativos globais e uma série de arranjos institucionais, através de resoluções do Conselho, mecanismos investigativos e o estabelecimento de um escritório de representante Especial para Violência Sexual e Conflito, hoje ocupado por Pramila Patten.

“Reparações são o que as pessoas sobreviventes mais querem e o que menos recebem. No início de uma nova década para este mandato, é hora de atender a estas demandas e colocar estas pessoas em primeiro lugar”, afirmou Pramila. Ela reforçou que uma resposta centrada nos sobreviventes e baseada em direitos representa, em resumo, “o simples milagre de uma vida normal”.

A ministra de Relações Internacionais e Cooperação da África do Sul, Nadeli Pandor, pediu uma abordagem multidisciplinar e multisetorial para proteger os mais vulneráveis, tanto em tempos de conflito quanto em períodos de paz. O país apoiou a realização do evento.

Os vencedores do prêmio Nobel da Paz Nadia Murad e Dennis Mukwege também participaram no evento. Nadia foi a primeira vítima de tráfico a servir como embaixadora da Boa Vontade da ONU, depois de ter sido sequestrada pelo grupo terrorista Estado Islâmico do Iraque e do Levante. Dennis Mukwege é um médico congolês que se especializou no tratamento de mulheres violadas por milícias durante a guerra civil.