ONU lamenta morte de pesquisador canadense que ajudou a descobrir remédio para tratar HIV

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) expressou profunda tristeza pela morte do canadense Mark Wainberg, pesquisador e pioneiro nos esforços contra o HIV. Cientista de renome internacional, o especialista participou das investigações que levaram à identificação de um dos principais remédios antirretrovirais, a lamivudina. Mais recentemente, Wainberg buscava uma cura para o HIV.

Mark Wainberg participou de pesquisas que identificaram um dos principais remédios antirretrovirais, a lamivudina. Foto: Universidade McGill

O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) expressou profunda tristeza pela morte do canadense Mark Wainberg, pesquisador e pioneiro nos esforços contra o HIV. Cientista de renome internacional, o especialista participou das investigações que levaram à identificação de um dos principais remédios antirretrovirais, a lamivudina. Mais recentemente, Wainberg buscava uma cura para o HIV.

“Mark Wainberg era um gigante na ciência do HIV. Seu trabalho contribuiu para salvar milhões de vidas”, afirmou o diretor-executivo da agência da ONU, Michel Sidibé, em mensagem publicada após o falecimento do pesquisador, confirmado na semana passada (12).

Wainberg era o chefe de pesquisa de AIDS no Instituto Lady Davis para Pesquisa Médica do Jewish Hospital Geral Judaico de Montreal, além de trabalhar como diretor do Centro de AIDS da Universidade McGill, também localizada na cidade canadense.

Um amigo e consultor informal do UNAIDS durante muitos anos, ele atuou ainda como presidente da Sociedade Internacional de AIDS de 1998 a 2000.

A agência das Nações Unidas descreveu o canadense como um “defensor apaixonado da causa” — que lutava para garantir que o tratamento do HIV chegasse às pessoas mais necessitadas e falava abertamente contra o negacionismo da AIDS, quando isso ameaçou a resposta ao HIV.

“O UNAIDS e milhões de pessoas que vivem com HIV estarão em luto pela passagem de Mark Wainberg, mas também celebrarão a enorme contribuição que ele deu para a resposta ao HIV que ao longo de sua vida”, acrescentou Sidibé.


Mais notícias de:

Comente

comentários