ONU lamenta morte de diretor-executivo de Fundo de População das Nações Unidas

O secretário-geral da ONU, António Guterres, lamentou nesta segunda-feira (5) a morte do diretor-executivo do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Babatunde Osotimehin, aos 68 anos.

Osotimehin defendeu vigorosamente três importantes objetivos das Nações Unidas, como reduzir a zero o número de mortes maternas pelo mundo, atender totalmente a demanda por planejamento familiar e eliminar práticas nocivas contra mulheres e meninas. O UNFPA pede que todos honrem o legado de Osotimehin ao defender esses objetivos globalmente.

Médico e especialista em saúde pública, Osotimehin tornou-se o quarto diretor-executivo do UNFPA em 1º de janeiro de 2011. Foto: ONU

Médico e especialista em saúde pública, Osotimehin tornou-se o quarto diretor-executivo do UNFPA em 1º de janeiro de 2011. Foto: ONU

O secretário-geral da ONU, António Guterres, lamentou nesta segunda-feira (5) a morte do diretor-executivo do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Babatunde Osotimehin, aos 68 anos.

“Estou profundamente entristecido pela morte repentina de meu bom colega e amigo, Babatunde Osotimehin. Ofereço minhas sinceras condolências à sua família, à equipe do UNFPA e ao governo e ao povo da Nigéria, e a todos aqueles no mundo tocados por essa perda”, disse Guterres.

Segundo o secretário-geral da ONU, “o mundo perdeu um grande defensor da saúde e do bem-estar para todos”. “Babatunde era admirado globalmente por sua liderança no UNFPA e por sua importante defesa das mulheres e meninas do mundo”, declarou.

“A saúde sexual e reprodutiva e os direitos reprodutivos estão entre os mais importantes, e frequentemente sensíveis, temas para a agenda internacional; os esforços calmos, porém entusiasmados, de Osotimehin ajudaram famílias a obter os serviços de saúde sexual e reprodutiva dos quais precisavam, e ajudaram o mundo a avançar no Programa de Ação do Cairo para População e Desenvolvimento.”

De acordo com Guterres, a voz de Osotimehin tornou-se inestimável ao longo dos anos, inclusive por seu tempo como ministro da Saúde da Nigéria, ao defender a garantia de planejamento familiar, educação para as mulheres, saúde para as crianças e ações de combate ao HIV/AIDS como instrumentos vitais para o progresso humano.

“Neste momento de tristeza, vamos agradecer pelo serviço prestado por Babatunde em vida”, concluiu o secretário-geral da ONU.

UNFPA lamenta morte de diretor-executivo

Em comunicado, o UNFPA informou que Osotimehin morreu subitamente em sua residência na noite de domingo (4).

“Esta é uma perda devastadora para o UNFPA e para a população, especialmente mulheres, meninas e jovens, aos quais ele dedicou sua vida, desde que começou sua carreira como médico na Nigéria”, disse a agência da ONU na mensagem.

“O UNFPA expressa sua profunda compaixão à sua família, e reza para que ela tenha a força para enfrentar essa enorme perda.”

Osotimehin defendeu vigorosamente três importantes objetivos das Nações Unidas, como reduzir a zero o número de mortes maternas pelo mundo, atender totalmente a demanda por planejamento familiar e eliminar práticas nocivas contra mulheres e meninas. O UNFPA pede que todos honrem seu legado ao defender esses objetivos globalmente.

Médico e especialista em saúde pública, Osotimehin tornou-se o quarto diretor-executivo do UNFPA em 1º de janeiro de 2011. Antes de sua nomeação, ele atuou como ministro da Saúde da Nigéria e, antes disso, foi diretor-geral da Agência Nacional para o Controle da AIDS no país.

Ele era casado e deixa cinco filhos e diversos netos.