ONU investirá US$ 3 milhões em capacitação de refugiados da Somália que querem voltar ao país

O Fundo de Construção da Paz das Nações Unidas anunciou nesta semana (20) que investirá 3 milhões de dólares em um projeto-piloto de capacitação de refugiados. A iniciativa é voltada para somalis que atualmente vivem no Quênia, mas desejam retornar ao país de origem. Objetivo da formação é levar para os deslocados forçados não apenas qualificação profissional, mas também conscientização sobre resolução pacífica de conflitos.

Refugiados da Somália que vivem no campo de Dadaab, no Quênia, participarão de capacitação desenvolvida pela ONU antes de regressar ao país de origem. Foto: OCHA

Refugiados da Somália que vivem no campo de Dadaab, no Quênia, participarão de capacitação desenvolvida pela ONU antes de regressar ao país de origem. Foto: OCHA

O Fundo de Construção da Paz das Nações Unidas anunciou nesta semana (20) que investirá 3 milhões de dólares em um projeto-piloto de capacitação de refugiados. A iniciativa é voltada para somalis que atualmente vivem no Quênia, mas desejam retornar ao país de origem. Objetivo da formação é levar para os deslocados forçados não apenas qualificação profissional, mas também conscientização sobre resolução pacífica de conflitos.

O organismo internacional destaca que o programa acompanhará os mesmos refugiados em dois territórios diferentes: primeiramente, no campo de Dadaab, no Quênia; depois, em Baidoa, na Somália, para onde os asilados devem retornar.

O alcance transfronteiriço da iniciativa foi possível devido a um acordo entre os governos dos dois países e a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR). O projeto só terá participantes que buscam a repatriação voluntária.

A capacitação será elaborada para promover a coexistência pacífica e a resolução do conflito interno na Somália. A ideia é apoiar os esforços prioritários do governo do país, atualmente concentrados na estabilização e nos dividendos da paz, incluindo investimentos em emprego.

Os escritórios do ACNUR no Quênia e na Somália, bem como o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), o Programa Mundial de Alimentos (PMA), a Organização Internacional para as Migrações (OIM) e a Organização Internacional do Trabalho (OIT) na Somália receberão recursos do Fundo da ONU.

O organismo já financia outros projetos em território somali, que buscam fortalecer a autoridade nacional em áreas libertas do controle de rebeldes.