ONU-HABITAT e parceiro lançam relatório sobre segurança das mulheres em BH

O Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-HABITAT) e o Movimento Nossa BH lançam na segunda-feira (30) em Belo Horizonte (MG) relatório sobre a situação da segurança das mulheres no ambiente urbano, elaborado a partir de auditoria sobre o tema.

A ferramenta possibilita avaliação crítica do ambiente urbano, dando legitimidade às preocupações das mulheres, aumentando a conscientização da violência contra grupos vulneráveis e possibilitando que tomadores de decisão entendam as maneiras diferentes que homens e mulheres experienciam o ambiente urbano.

Com base nos resultados, recomendações podem ser feitas para aumentar a sensação de segurança das mulheres nesses espaços.

A cidade de Belo Horizonte, no Brasil. Foto: ONU-Habitat

A cidade de Belo Horizonte, no Brasil. Foto: ONU-Habitat

O Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-HABITAT) e o Movimento Nossa BH lançam na segunda-feira (30) em Belo Horizonte (MG) relatório sobre a situação da segurança das mulheres no ambiente urbano, elaborado a partir de auditoria sobre o tema.

O relatório sistematiza auditoria de segurança das mulheres realizada em abril na capital mineira, durante o evento “Cidades & Corpos: Mobilidade Sensível a Gênero, Raça e Clima”, organizado por ONU-HABITAT, Movimento Nossa BH, Fórum das Juventudes da Grande BH, BH em Ciclo e Coalizão Clima e Mobilidade Ativa.

A Auditoria de Segurança das Mulheres foi criada no Canadá em 1989 e adaptada pelo ONU-HABITAT como parte do Programa Cidades Mais Seguras. A ferramenta possibilita avaliação crítica do ambiente urbano, dando legitimidade às preocupações das mulheres, aumentando a conscientização da violência contra grupos vulneráveis e possibilitando que tomadores de decisão entendam as maneiras diferentes que homens e mulheres experienciam o ambiente urbano.

Com base nos resultados, recomendações podem ser feitas para aumentar a sensação de segurança das mulheres nesses espaços.

Com foco na perspectiva das mulheres, é esperado que a ferramenta identifique como fatores ambientais e urbanos causam insegurança para populações vulneráveis. Dessa forma, além de encorajar mudanças no ambiente físico, a auditoria busca empoderar mulheres a ocuparem o espaço público e participarem das tomadas de decisão.

Também na segunda-feira será lançado relatório-síntese do evento realizado em abril, contendo reflexões sobre gênero, raça, clima e mobilidade nas cidades. Esses temas e categorias se sobrepõem a todo momento nas grandes cidades brasileiras, afetando principalmente as populações mais vulneráveis.

O lançamento dos relatórios ocorrerá durante o “Seminário Pela Vida das Mulheres”, iniciativa da Comissão de Mulheres da Câmara Municipal de Belo Horizonte que debate mobilidade e gênero, economia das mulheres e violência contra a mulher. O evento ocorrerá das 10h às 18h na Câmara Municipal de Belo Horizonte.

• Relatório “Auditoria de Segurança das Mulheres em Belo Horizonte”: http://bit.ly/relatorio-auditoria
• Relatório “Cidades & Corpos: Mobilidade Sensível a Gênero, Raça e Clima”: http://bit.ly/relatorio-cidadesecorpos