ONU, governo da Colômbia e FARC dão início a verificação do cessar-fogo

O mecanismo tripartite coordenado pelas Nações Unidas, pelo governo colombiano e pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC-EP) começa oficialmente nessa segunda-feira (7) a monitorar e verificar o cessar-fogo e a cessação das hostilidades no país.

Os observadores da Missão das Nações Unidas na Colômbia, o governo da Colômbia e as Forças Armadas Revolucionárias do país - Exército do Povo (FARC-EP) começam a trabalhar na sede nacional do mecanismo de acompanhamento e verificação. O mecanismo é encarregado de supervisionar o cessar-fogo das hostilidades no país. Foto: Missão da ONU na Colômbia

Os observadores da Missão das Nações Unidas na Colômbia, o governo da Colômbia e as Forças Armadas Revolucionárias do país – Exército do Povo (FARC-EP) começam a trabalhar na sede nacional do mecanismo de acompanhamento e verificação. O mecanismo é encarregado de supervisionar o cessar-fogo das hostilidades no país. Foto: Missão da ONU na Colômbia

O mecanismo tripartite coordenado pelas Nações Unidas, pelo governo colombiano e pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC-EP) começa oficialmente nessa segunda-feira (7) a monitorar e verificar o cessar-fogo e a cessação das hostilidades no país.

“Gostaria de destacar que eu testemunhei o compromisso diário das partes em conflito. Isso nos dá confiança, tranquilidade e a certeza de que esse processo de paz será concretizado”, disse o chefe da Missão da ONU de observadores internacionais, general Perez Aquino, durante a primeira coletiva de imprensa realizada com os representantes do mecanismo em Bogotá.

Perez também agradeceu o apoio do Conselho de Segurança e da comunidade internacional ao processo de paz, destacando a importância de alcançar um acordo definitivo em um futuro próximo.

Ele observou que a Missão das Nações Unidas não tem prazo para ficar no país e continuará trabalhando na Colômbia desde que haja um pedido das partes.

Para permitir o acompanhamento e verificação do cessar-fogo, bem como garantir a segurança da população civil, dos membros das FARC-EP e da força pública, os guerrilheiros se deslocarão entre locais temporários.

As partes ressaltaram que qualquer cidadão pode apresentar queixas ou preocupações diretamente ao grupo do mecanismo de verificação.