ONU: Fórum Global discutiu o uso das TICs para a redução dos impactos e danos dos desastres naturais

Fórum promovido pela UIT debateu estudos de caso, mecanismos de financiamento e inovações tecnológicas capazes de fortalecer os sistemas de alerta e de resposta a catástrofes baseados nas TICs.

Durante o terremoto no Nepal, graças às TICs, voluntários online das Nações Unidas, atuando de diferentes partes do mundo, conseguiram identificar áreas que precisavam de serviços de emergência. Foto: PNUD Nepal / Laxmi Prasad Ngakhusi

Durante o terremoto no Nepal, graças às TICs, voluntários online das Nações Unidas, atuando de diferentes partes do mundo, conseguiram identificar áreas que precisavam de serviços de emergência. Foto: PNUD Nepal / Laxmi Prasad Ngakhusi

Nesta quinta-feira (28), no Kuwait, a União Internacional de Telecomunicações (UIT) concluiu o seu 2º Fórum Global sobre Telecomunicações de Emergência. O evento reuniu mais de 500 participantes oriundos de 70 países para debater o uso das tecnologias de comunicação e informação (TICs) na redução dos impactos e danos provocados por desastres naturais. Como resultado das discussões que ocorreram ao longo da semana, foi criado o Fundo Global de Emergência para Respostas Rápidas.

“Quase todos os dias, um desastre atinge alguma parte do mundo”, afirmou o secretário-geral da UIT, que elogiou as estratégias adotadas ao final do Fórum. Além do Fundo de Emergência, a agência da ONU propôs a criação de uma Rede de Voluntários para as Telecomunicações de Emergência. Durante o evento, foram discutidos estudos de caso, mecanismos de financiamento e inovações tecnológicas capazes de fortalecer os sistemas de alerta e de resposta a catástrofes baseados nas TICs.

A utilização dessas tecnologias no combate às mudanças climáticas e a participação de agentes privados em programas de redução de risco também foram debatidos. A UIT lembrou que o Marco Sendai para a Redução de Riscos de Desastre destaca a necessidade de investir em redes de telecomunicação capazes de monitorar perigos e alertar sobre emergências. O chefe da UIT convocou todas as partes interessadas a contribuírem com iniciativas que mobilizam as TICs para salvar vidas.