ONU expressa ‘profunda preocupação’ com violações dos direitos humanos no Iêmen

Escritório da ONU para Direitos Humanos condena a morte de civis, detenções arbitrárias, recrutamento de crianças e os ataques a escolas e hospitais que têm sido frequentes no país.

ONU chama a atenção para a situação das crianças, que têm sido vistas equipando postos de controle, a bordo de veículos armados e patrulhando as ruas. Foto: ACNUR/P. Rubio Larrauri

ONU chama a atenção para a situação das crianças, que têm sido vistas equipando postos de controle, a bordo de veículos armados e patrulhando as ruas. Foto: ACNUR/P. Rubio Larrauri

O escritório das Nações Unidas para os direitos humanos (ACNUDH) emitiu na última terça-feira (18) um forte apelo para que todos os lados renunciem à violência e assegurarem o acesso imediato da assistência humanitária em zonas de conflito.

“O Escritório do ACNUDH no Iêmen documentou violações graves cometidas por todos os lados”, disse o porta-voz da agência da ONU, Rupert Colville, explicando que tais violações incluem a morte de civis, detenções arbitrárias, o recrutamento de crianças e os ataques a escolas e hospitais, bem como à propriedade privada.

Colville chama a atenção para a situação das crianças, pois muitas têm sido vistas equipando postos de controle, a bordo de veículos armados e patrulhando as ruas. Além disso, muitas escolas são usadas para fins militares.

“Apesar da formação de um novo governo, o ACNUDH insta todos os lados do espectro político do Iêmen a renunciar o uso da violência e de participar nos processos nacionais em curso”, disse Colville, acrescentando que isto inclui “a elaboração da nova Constituição e a aplicação dos resultados do diálogo nacional, evitando mais instabilidade e derramamento de sangue”.

De acordo com porta-voz, outros atores da ONU no Iêmen continuam intimamente envolvidos nos processos de elaboração da Constituição e da reforma política no país.