ONU evacuou mais de mil refugiados da Líbia desde novembro de 2017

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) já evacuou mais de mil indivíduos da Líbia, onde viviam em situação de alta vulnerabilidade como deslocados forçados. Organismo internacional anunciou saldo de operações de reassentamento nesta semana. Na terça-feira (13), um avião deixou Trípoli rumo a Niamey, no Níger, com 128 refugiados. Na quarta (14), outra aeronave levou 150 indivíduos em condição de refúgio da capital líbia até Roma.

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) já evacuou mais de mil indivíduos da Líbia, onde viviam em situação de alta vulnerabilidade como deslocados forçados. Organismo internacional anunciou saldo de operações de reassentamento nesta semana. Na terça-feira (13), um avião deixou Trípoli rumo a Niamey, no Níger, com 128 refugiados. Na quarta (14), outra aeronave levou 150 indivíduos em condição de refúgio da capital líbia até Roma.

Com essas últimas realocações, o número de pessoas evacuadas pelo ACNUR chegou a 1.084. Contingente inclui os resgatados por operações realizadas desde de novembro do ano passado.

Na avaliação do enviado especial do ACNUR para o Mediterrâneo Central, Vincent Cochetel, as ações de reassentamento deram aos deslocados “uma nova chance na vida”. Na Líbia, eles haviam sido detidos e sofriam “tremendamente”, afirmou o dirigente. “Até o final de 2018, esperamos evacuar outros milhares (de refugiados)”, disse Cochetel.

As 128 pessoas enviadas ao Níger estão acomodadas em casas de acolhimento, onde recebem assistência e apoio psicológico enquanto aguardam o reassentamento definitivo e outras soluções duradouras. Até o momento, 770 refugiados já foram evacuados para o país. Entre eles, estão mães solteiras, famílias e crianças desacompanhadas e separadas de seus responsáveis.

O grupo que viajou para Roma tinha crianças e mulheres que haviam sido mantidas em cativeiro por longos períodos. A operação, segundo o ACNUR, não teria sido possível sem a cooperação dos governos líbio e italiano.

No total, desde novembro de 2017, 312 refugiados já foram realocados para o país europeu. Na capital, foram examinados por equipes médicas e receberam agasalhos e comida antes de passar por procedimentos de identificação. Posteriormente, foram encaminhados para centros de recepção.

“Essas evacuações são o melhor exemplo do impacto que a solidariedade internacional pode ter sobre os próprios refugiados. Contudo, muito mais precisa ser feito. Apenas 16.940 vagas de reassentamento foram disponibilizadas até o momento para os 15 países prioritários de refúgio ao longo da rota do Mediterrâneo Central, incluindo a Líbia e o Níger. Convocamos todos os países a apresentarem novas vagas, que oferecerão uma solução concreta para muitos mais refugiados que ainda estão na Líbia”, cobrou Cochetel.

(Foto de capa do vídeo: equipes do ACNUR recebem refugiados ao chegarem ao aeroporto militar italiano Pratica di Mare. Crédito da imagem: ACNUR/Alessandro Penso)