ONU está à disposição dos EUA e da Coreia do Norte para apoiar desnuclearização, diz secretário-geral

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

“A paz e a desnuclearização verificável (da Coreia do Norte) têm de permanecer a meta clara e compartilhada”, defendeu nesta segunda-feira (11), o chefe da ONU, António Guterres, em coletiva sobre a histórica cúpula que reunirá Donald Trump e Kim Jong-un em Cingapura.

Secretário-geral da ONU, António Guterres, em coletiva sobre a cúpula dos EUA e da Coreia do Norte. Foto: ONU/Manuel Elias

Secretário-geral da ONU, António Guterres, em coletiva sobre a cúpula dos EUA e da Coreia do Norte. Foto: ONU/Manuel Elias

Em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (11), em Nova Iorque, o secretário-geral da ONU, António Guterres, elogiou a decisão do presidente norte-americano Donald Trump e do líder norte-coreano Kim Jong-un de se encontrar amanhã (12) em Cingapura, para “buscar uma solução diplomática” para a crise na Península Coreana.

O chefe das Nações Unidas afirmou que o organismo internacional está “à disposição” das duas nações para apoiar as negociações, incluindo por meio de verificações técnicas de um eventual processo de desnuclearização do país asiático.

“A paz e a desnuclearização verificável têm de permanecer a meta clara e compartilhada (dos diálogos)”, disse Guterres, que descreveu o encontro entre Trump e Kim como “um desdobramento promissor” para a segurança global e como um ato de “coragem” dos dois políticos.

O secretário-geral lembrou que a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) tem o mandato para supervisionar o uso pacífico de material nuclear, incluindo insumos removidos de programas militares.

“A Organização do Tratado de Proibição Completa de Testes Nucleares também poderia desempenhar um papel importante no monitoramento da moratória anunciada pela Coreia do Norte sobre testes de explosivos nucleares”, acrescentou Guterres.

O dirigente acrescentou que os diálogos exigirão “cooperação, concessões e uma causa comum”. “Também é importante que os processos diplomáticos abram caminho para progressos em questões de direitos humanos, (como) das reuniões familiares até o engajamento com mecanismos internacionais”, disse o secretário-geral.

Discordâncias e negociações duras são esperadas em Cingapura, segundo Guterres, mas o chefe da ONU disse esperar que “todos as partes aproveitarão essa oportunidade para apoiar uma Coreia do Norte pacífica, próspera, segura e verificavelmente desnuclearizada”.

Crise humanitária na Coreia do Norte

Em pronunciamento à imprensa, Guterres também chamou atenção para a crise na Coreia do Norte, onde agências humanitárias da ONU precisam de 111 milhões de dólares para dar assistência a 6 milhões de pessoas entre os cidadãos mais vulneráveis do país. “O povo da Coreia do Norte precisa de nossa generosidade e ajuda”, disse o secretário-geral.


Comente

comentários