ONU entrega pela primeira vez prêmio Nelson Mandela em cerimônia na Assembleia Geral

O reconhecimento destaca “conquistas excepcionais” de um homem e uma mulher que levaram a cabo ações a favor da humanidade, principalmente, na promoção da reconciliação, coesão social e desenvolvimento comunitário.

Ganhadores do Prêmio Nelson Rolihlahla Mandela 2015 das Nações Unidas, Jorge Fernando Branco Sampaio e Helena Ndume. Fotos: ONU/Ryan Brown e Helena Ndume

Ganhadores do Prêmio Nelson Rolihlahla Mandela 2015 das Nações Unidas, Jorge Fernando Branco Sampaio e Helena Ndume. Fotos: ONU/Ryan Brown e Helena Ndume

A Assembleia Geral da ONU entregou, nesta sexta-feira (24), o primeiro Prêmio Nelson Rolihlahla Mandela, em comemoração ao Dia Internacional atribuído ao líder da África do Sul, celebrado cada 18 de julho, em reconhecimento a sua contribuição para a democracia, justiça e reconciliação e sua dedicação ao serviço da humanidade.

“O Dia Internacional Nelson Mandela é uma chamada de ação global para todos os cidadãos do mundo, para aceitar o desafio e seguir os passos do formidável Madiba; um homem que transformou sua vida, serviu seu país e libertou seu povo”, disse o presidente da Assembleia Geral, Sam Kutesa, na reunião informal com os 193 membros do organismo da ONU.

O prêmio reconhece “conquistas excepcionais” de um homem e uma mulher que levaram a cabo ações a favor da humanidade, principalmente, na promoção da reconciliação, coesão social e desenvolvimento comunitário.

Os dois primeiros laureados foram Helena Ndume, oftalmologista da Namíbia que trabalha no tratamento de cegueira e outras doenças relacionadas à visão e Jorge Fernando Branco Sampaio, de Portugal, ex-presidente do país entre 1996 e 2006, reconhecido por sua luta para a restauração da democracia do país.

No discurso, o ex-presidente de Portugal disse que “o mundo tem a obrigação coletiva de proteger os indefesos, defender os direitos humanos e os que estão sofrendo em zonas de guerra, em risco ou os que estão em situações vulneráveis”.