ONU: Empresas de petróleo e gás unem forças para minimizar emissões de metano

As indústrias de gás e de petróleo são responsáveis por mais de 20% das emissões mundiais de metano – apenas atrás da atividade agrícola. Iniciativa conta com apoio de governos e cidades.

Emirados Árabes Unidos aproveitam energia solar e reduzem gases de efeito estufa. Foto: ONU.

Empresas multinacionais de petróleo e gás, os principais países produtores do mundo e mais de doze cidades se uniram em parceria para minimizar as emissões de metano ao lançarem a Parceria de Petróleo e Gás Metano. A iniciativa, divulgada simultaneamente com a Cúpula do Clima em Nova York, nesta terça-feira (23), pode gerar impacto imediato na redução do aquecimento global e vai de encontro ao plano estratégico do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, na luta contra as mudanças climáticas globais.

As indústrias de gás e de petróleo são responsáveis por mais de 20% das emissões mundiais de metano – apenas atrás da atividade agrícola – e, por isso, são necessárias ações significativas das mesmas. Poluentes climáticos de curta duração – como o metano, a fuligem e os hidrofluorocarbonetos (HFC) – contribuem no aumento das temperaturas globais. Esforços para reduzi-los podem desacelerar esse processo durante os próximos 35 anos, trazendo benefícios para a saúde da população e para a produção de alimentos.

Entre as fontes de metano produzidas pelo homem, os aterros de resíduos sólidos aparecem logo em seguida, no terceiro lugar, totalizando cerca de 11% das emissões globais, por isso é importante diminuir os resíduos sólidos municipais. Mais de 25 cidades já se comprometeram a elaborar planos de ação que diminuam estas fontes de contaminação até 2020. A perspectiva é expandir a rede para 50 cidades até o ano que vem, com objetivos de atingir 150 até 2020, e, eventualmente, elevar o número de municípios para mil.

“Estes anúncios mostram como governos, empresas e sociedade civil podem trabalhar juntos para reduzir as emissões”, comemorou o secretário-geral.