ONU: Em emergência ignorada pelo mundo, Mianmar sofre com inundações

Cerca de 385 mil famílias foram deslocadas pelas enchentes e deslizamentos que destruíram milhares de casas e canais de irrigação em 12 das 14 províncias do país, disse a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

Fazendo destruída em Hakha, capital do estado de Chin, em Mianmar. Foto: PNUD Mianmar

Fazendo destruída em Hakha, capital do estado de Chin, em Mianmar. Foto: PNUD Mianmar

Tempestades, enchentes e deslizamentos em quase todo o território do Mianmar destruíram plantações de arroz, bem como viveiros de peixe e camarão fazendo com que a disponibilidade de comida seja severamente limitada se não for fornecido ajuda rapidamente aos agricultores, alertou nesta quinta-feira (03) a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO).

“Presenciando pessoalmente a dimensão da situação no país, é impressionante como esta emergência está sendo amplamente subestimada pela mídia global e pelos doadores internacionais”, disse o representante da FAO em Mianmar, Bui Thi Lan.

A Organização declarou que “é necessária assistência urgente para ajudar agricultores na recuperação durante o mês de extremo clima de monção, que foi agravado pela passagem do ciclone Komen no final de julho que afetou mais de 1,6 milhão de pessoas e inundou mais de 1,4 milhão de acres de terras agrícolas. Cerca de 385 mil famílias foram deslocadas pelas enchentes e deslizamentos, que destruíram milhares de casas e canais de irrigação em 12 das 14 províncias do pais, disse a FAO.