ONU elogia progressos no acesso à terapia antirretroviral em Moçambique

O presidente de Moçambique, Filipe Jacinto Nyusi, promoveu em Maputo uma reunião extraordinária do Conselho Nacional de AIDS, no Dia Mundial contra a doença (1º de dezembro).

Na ocasião, o diretor-executivo adjunto do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS), Luiz Loures, elogiou a liderança do país pelos progressos realizados nos últimos dez anos, com quase 1 milhão de pessoas tendo acesso à terapia antirretroviral.

Moçambique reforça seu compromisso com o fim da AIDS. Foto: UNAIDS

Moçambique reforça seu compromisso com o fim da AIDS. Foto: UNAIDS

O presidente de Moçambique, Filipe Jacinto Nyusi, promoveu em Maputo uma reunião extraordinária do Conselho Nacional de AIDS, no Dia Mundial contra a doença (1º de dezembro).

O encontro reuniu representantes do governo e líderes comunitários e religiosos de todas as províncias do país, além de atores nacionais e internacionais envolvidos na resposta ao HIV. O objetivo foi reforçar o compromisso de acabar com a AIDS até 2030 como uma ameaça à saúde pública.

Em seu discurso de abertura, Nyusi destacou que todos, incluindo membros da comunidade, representantes do governo e líderes religiosos, têm um papel a desempenhar na resposta ao HIV, e convidou a unir forças para superar as barreiras culturais que impedem as pessoas vivendo com HIV e as populações-chave de terem acesso aos serviços de que precisam.

“É hora de agir. Precisamos acelerar a resposta ao HIV de forma coordenada, em parceria com todos os principais interessados​​”, disse.

Ele também enfatizou a importância de proteger as meninas adolescentes e as mulheres jovens, e destacou que uma estratégia de comunicação inovadora será necessária para provocar mudanças sociais.

O diretor-executivo adjunto do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS), Luiz Loures, elogiou a liderança do país pelos progressos realizados nos últimos dez anos, com quase 1 milhão de pessoas tendo acesso à terapia antirretroviral.

Ele também destacou a importância de proporcionar espaço e recursos às comunidades, pois são fundamentais na promoção da resposta ao HIV e no alcance de populações que, de outra forma, seriam deixadas para trás. Loures assegurou a Nyusi que o UNAIDS apoiará firmemente os esforços de Moçambique para acabar com a epidemia da doença.

Os participantes do encontro concordaram que a ampliação dos programas de prevenção do HIV, colocando as comunidades no centro da resposta, abordando o estigma e a discriminação e concentrando os esforços no alcance das metas 90-90-90 são pontos urgentemente necessários para acelerar o ritmo da resposta à AIDS no país.


Comente

comentários