ONU e TV Globo promovem campanha sobre desigualdades entre homens e mulheres

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Mulheres e homens com direitos iguais, deveres iguais, oportunidades iguais. Divisão de tarefas de cuidado. Cargos iguais. Salários iguais. Respeito às diferenças. E não às desigualdades. Essas são as mensagens da campanha da ONU Mulheres Brasil em parceria com o Fundo Elas e o Grupo Globo. Iniciativa está veiculando nesta semana uma vinheta de conscientização na TV Globo e suas afiliadas. Ação celebra o Dia Internacional das Mulheres, lembrado em 8 de março.

Mulheres e homens com direitos iguais, deveres iguais, oportunidades iguais. Divisão de tarefas de cuidado. Cargos iguais. Salários iguais. Respeito às diferenças. E não às desigualdades. Essas são as mensagens da campanha da ONU Mulheres Brasil em parceria com o Fundo Elas e o Grupo Globo. Iniciativa está veiculando nesta semana uma vinheta de conscientização na TV Globo e suas afiliadas. Ação celebra o Dia Internacional das Mulheres, lembrado em 8 de março.

Para Nadine Gasman, representante da ONU Mulheres no Brasil, a campanha “incentiva a igualdade entre mulheres e homens como algo possível, ao mesmo tempo em que mostra para o público como as desigualdades marcam as trajetórias de vida das mulheres e dos homens por gerações”.

Sobre o Dia Internacional, a dirigente lembrou que, em 2018, “a ONU está dedicada ao tema do empoderamento econômico das mulheres”. “O mundo do trabalho está mudando rapidamente e as desigualdades de gênero, raça e etnia estão se ampliando”, alertou a especialista.

“É preciso inverter a lógica excludente, substituindo-a pela inclusão e pelas ações afirmativas que são fundamentais para enfrentar as desigualdades e construir um Planeta 50-50 com paridade de gênero”, defendeu Nadine, lembrando o mote de outra campanha das Nações Unidas — Por um planeta 50-50 em 2030: um passo decisivo pela igualdade de gênero.

A vinheta “Direitos Iguais” começou a ser veiculada no último domingo (4) e será divulgada até o próximo sábado (10) em cadeia nacional, para comemorar a Semana das Mulheres e lembrar o público telespectador sobre a importância de levar a pauta da igualdade para o dia a dia.

Sobre o Dia Internacional das Mulheres

Em 1975, Ano Internacional das Mulheres, as Nações Unidas celebraram pela primeira vez o Dia Internacional das Mulheres, em 8 de março. Dois anos mais tarde, em dezembro de 1977, a Assembleia Geral adotou uma resolução que proclamava o Dia das Nações Unidas para os Direitos das Mulheres e a Paz Internacional, que poderia ser celebrado pelos Estados-membros em qualquer dia do ano, de acordo com as suas tradições históricas e nacionais.

A ideia do Dia Internacional das Mulheres se consolidou no final do século XX, em razão das atividades desenvolvidas pelos movimentos de trabalhadoras na América do Norte e na Europa.

Desde então, o Dia Internacional das Mulheres tem adquirido uma nova dimensão mundial para as mulheres tanto em países desenvolvidos quanto em países em desenvolvimento. O crescimento do movimento internacional de mulheres, fortalecido sobretudo por meio das quatro Conferências Mundiais da ONU sobre as Mulheres, contribuiu para tornar a celebração um ponto de encontro em torno da promoção dos direitos das mulheres e da sua participação nas esferas política e econômica.

Para a ONU Mulheres, agora, mais do que nunca, o Dia Internacional das Mulheres é um momento de reflexão sobre os avanços alcançados e é também uma ocasião para apostar nas mudanças e reconhecer os atos de valentia e decisão das mulheres, na atualidade. Essas ações, segundo o organismo internacional, têm desempenhado um papel extraordinário na história de seus países e comunidades.


Mais notícias de:

Comente

comentários