ONU e quadrinistas lançam gibi online sobre a crise humanitária no Sudão do Sul

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Quadrinistas de diferentes partes do mundo se uniram ao Programa Mundial de Alimentos (PMA) para produzir um gibi sobre a crise humanitária no Sudão do Sul. Publicação aborda desafios humanitários e os riscos enfrentados pela população em meio à guerra e à fome. História em quadrinhos está disponível online e gratuitamente.

Imagem: PMA

Imagem: PMA

Ilustradores e criadoresde gibi se uniram ao Programa Mundial de Alimentos (PMA) para alertar o público sobre a guerra e a fome no Sudão do Sul. A parceria mobilizou artistas de diferentes partes do mundo para produzir uma história em quadrinhos disponibilizada gratuitamente pela agência da ONU em meio virtual. A publicação aborda os desafios enfrentados por uma assistente humanitária durante missões no país.

Chamada Living Level 3: South Sudan, a obra faz referência ao “nível 3”, classificação da ONU para designar as crises humanitárias mais severas e amplas. Para as populações vivendo em meio a essas tragédias, não há outra fonte de ajuda a não ser as organizações humanitárias como o PMA.

O HQ acompanha a trajetória de Leila Helal, uma norte-americana e agente humanitária que é enviada ao Sudão do Sul para seu segundo trabalho junto à agência da ONU. Paralelamente ao trabalho da funcionária internacional, a história também segue os caminhos de Adut e Akot, um casal de camponeses que, após um longo período de estiagem, se vê forçada a deixar suas terras para buscar o que comer para os cinco filhos.

Com desenhos do italiano Alberto Ponticelli e colorização do congolês Pat Masioni, o gibi leva o leitor para o cotidiano de trabalhadores do PMA atuando num país assolado pela guerra civil e tensões políticas. Ao lado dos dilemas que atormentam Leila e das dificuldades que ela enfrenta para apoiar a população, o público descobre o impacto do confronto armado e da seca sobre os sul-sudaneses.

Na nação africana, o PMA fornece alimentos para 4 milhões de pessoas. A meta para 2017 é ampliar o número em 100 mil. Embora Estados-membros tenham liberado recursos para as operações, a agência ainda precisa de 189 milhões de dólares para conseguir fornecer comida até setembro deste ano para todas essas pessoas.

O gibi é uma obra de ficção, mas foi inspirado nas situações vividas por pessoas reais, que o autor da narrativa, o norte-americano Joshua Dysart, e oficiais do PMA conheceram durante uma viagem a Juba e Aweil, cidades do Sudão do Sul.

O país é atualmente a origem do maior fluxo de refugiados de todo o continente africano — desde 2013, cerca de 1,3 milhão de sul-sudaneses deixaram a nação para buscar segurança em territórios vizinhos.

Acesse e leia o gibi do PMA clicando aqui (em inglês).


Mais notícias de:

Comente

comentários