É preciso eliminar os locais de reprodução do mosquito transmissor da dengue e da chikungunya, diz ONU

“Quanto menos Aedes infectados circulem, menos pessoas estarão em risco de ser picadas e contrair estas doenças”, lembrou o conselheiro regional sobre dengue da OMS/OPAS, José Luis San Martin.

Equipes da Sucen de Bertioga (SP), realizam visitas nas casas para prevenir a dengue. Foto: Prefeitura de Bertioga/Renata de Brito

Equipes da Sucen de Bertioga (SP), realizam visitas nas casas para prevenir a dengue. Foto: Prefeitura de Bertioga/Renata de Brito

A Organização Mundial da Saúde/Organização Pan-Americana da Saúde (OMS/OPAS) pediu aos países das Américas, onde o mosquito transmissor da dengue e chikungunya está presente, que redobrem seus esforços para reduzir a presença deste vetor e que se mantenham atentos no cuidado de pacientes com ambos os vírus.

A OMS/OPAS fez estas recomendações devido à aproximação da temporada de transmissão destas doenças – ambas transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti – que está presente em quase todos os países das Américas.

“Todos os setores do governo, comunidades e famílias devem trabalhar em conjunto para combater o vetor, que normalmente vive em nossas casas”, disse o conselheiro regional sobre dengue da OMS/OPAS, José Luis San Martin. “Quanto menos Aedes infectados circulem, menos pessoas estarão em risco de ser picadas e contrair estas doenças”.