ONU e parceiros internacionais pedem resolução da crise política da Somália

A criação de um sistema federal, o processo de revisão da Constituição e a preparação para as eleições de 2016 estão pendentes, alertam organismos internacionais.

Um policial dirige o tráfego no centro de Mogadíscio, Somália. Foto: ONU/Tobin Jones

A ONU, a União Europeia e a Autoridade Intergovernamental para o Desenvolvimento (IGAD) emitiram um comunicado em conjunto, nesta terça-feira (27), pedindo a rápida resolução da crise política na Somália. Eles acrescentaram que “estão prontos para apoiar todos os movimentos para reforçar a construção da paz e do país, bem como responsabilizar os que colocarem obstáculos a esse progresso”.

A ONU e os parceiros internacionais lembram que a criação de um sistema federal, o processo de revisão da Constituição e a preparação para as eleições de 2016 estão pendentes. Eles também pediram ao primeiro-ministro Abdiweli Sheikh Ahmed que tome medidas “oportunas e decisivas” para reforçar a unidade nacional, melhorar a segurança e acelerar os processos democráticos pendentes.

O representante especial do secretário-geral para o país e chefe da Missão da ONU de Assistência na Somália (UNSOM), Nicholas Kay, disse que, embora o novo governo injete um novo impulso para as mudanças, o progresso na construção do país não tem sido tão rápido quanto necessário.