ONU e parceiros elogiam criação de Conselho Nacional de Segurança na Somália

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

“Esse acordo é um marco importante para a Somália. É uma pedra angular do processo de construção do Estado federal e é uma base sobre a qual se pode construir uma segurança reforçada”, disse o representante especial do secretário-geral na região, Michael Keating.

Quase 2 milhões de pessoas são afetadas pela seca em regiões do norte da Somália. Foto: PMA / Petterik Wiggers

Somalis são afetados pela seca em regiões do norte no país. Foto: PMA / Petterik Wiggers

A ONU e membros da comunidade internacional elogiaram na segunda-feira (17) as autoridades federais da Somália em formar um Conselho de Segurança no país e darem prioridade à luta contra a corrupção e à resposta à seca na região.

O presidente somali, Mohamed Abdullahi Farmajo, será o encarregado de dirigir o órgão, que incluíra também outros líderes regionais.

“Esse acordo é um marco importante para a Somália. É uma pedra angular do processo de construção do Estado federal e é uma base sobre a qual se pode construir uma segurança reforçada”, disse o representante especial do secretário-geral na região, Michael Keating.

Keating, que é também chefe da Missão Política da ONU na Somália (UNSOM), disse que a comunidade internacional está empenhada em apoiar as prioridades do governo.

Os líderes internacionais ainda concordaram em ajudar a Somália a evitar uma epidemia de fome. Cerca de metade da população precisa de assistência humanitária, incluindo 330 mil crianças.


Mais notícias de:

Comente

comentários