ONU e parceiro fornecem ajuda humanitária a milhares de deslocados no sudeste da Síria

As Nações Unidas e o Crescente Vermelho Árabe Sírio (SARC) finalizaram na quarta-feira (11) a entrega de assistência humanitária essencial a 15 mil sírios deslocados internamente em Rukban, no sudeste da Síria. A comida foi distribuída a todos os civis no campo, e suprimentos nutricionais foram fornecidos para as crianças.

A distribuição foi a segunda fase de uma extensa operação cujo objetivo é aliviar o sofrimento de milhares de pessoas que ficam presas na fronteira entre a Síria e a Jordânia há anos. A primeira fase foi uma missão preparatória, em agosto de 2019, para avaliar as necessidades prioritárias da população de Rukban e identificar civis que desejam e buscam apoio para deixar a área.

Este slideshow necessita de JavaScript.

As Nações Unidas e o Crescente Vermelho Árabe Sírio (SARC) finalizaram na quarta-feira (11) a entrega de assistência humanitária essencial a 15 mil sírios deslocados internamente em Rukban, no sudeste da Síria. A comida foi distribuída a todos os civis no campo, e suprimentos nutricionais foram fornecidos para as crianças.

A entrega da assistência começou no dia 6 de setembro e durou até a tarde de quarta-feira. O comboio da ONU/SARC foi composto de 22 caminhões transportando alimentos e 50 kg de sacos de trigo, além de biscoitos energéticos. É a terceira vez que a ONU e o SARC fornecem assistência humanitária a Rukban; a primeira entrega ocorreu em novembro de 2018, a segunda em fevereiro de 2019.

A distribuição foi a segunda fase de uma extensa operação cujo objetivo é aliviar o sofrimento de milhares de pessoas que ficam presas na fronteira entre a Síria e a Jordânia há anos. A primeira fase foi uma missão preparatória, em agosto de 2019, para avaliar as necessidades prioritárias da população de Rukban e identificar civis que desejam e buscam apoio para deixar a área.

A terceira fase, que acontecerá em breve, apoiará as famílias que desejam sair voluntariamente para áreas controladas pelo governo. Toda a operação é conduzida de acordo com os princípios humanitários e os padrões mínimos de proteção.

“Nosso principal objetivo durante a distribuição da ajuda foi fornecer assistência humanitária crítica ao povo de Rukban. Metade deles são crianças que passaram por um sofrimento indescritível”, disse Corinne Fleischer, atual coordenadora-residente e humanitária da ONU na Síria.

As condições em Rukban se deterioraram gradualmente nos últimos meses, com várias crianças morrendo por causas evitáveis devido à falta de acesso aos serviços de saúde. As condições em Rukban são terríveis e os atores humanitários têm acesso ou meios limitados para fornecer suprimentos e serviços básicos.

A distribuição da ajuda foi baseada na avaliação conjunta da ONU/SARC em agosto, onde a grande maioria das pessoas relatou que a falta de alimentos era sua principal preocupação.

A análise também teve como base as informações de segurança alimentar do Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (PMA), com um número alarmante de pessoas consideradas em risco de passar fome.

Os suprimentos humanitários foram distribuídos diretamente aos necessitados e sob um rígido monitoramento, independentemente de as pessoas terem optado ficar ou ir embora.

Desde fevereiro de 2019, cerca de metade da população estimada do campo, ou 18 mil pessoas, deixou o campo pelo ponto de trânsito estabelecido pelo governo, principalmente em direção a abrigos coletivos em Homs – onde ONU e SARC prestam serviços – antes de prosseguir.

Nos últimos meses, o número de pessoas que deixaram Rukban por conta própria diminuiu, já que muitas das que desejam sair não podem pagar pelo transporte – uma rota de 55 km até o ponto de trânsito na área do governo. Outras temem por sua segurança se deixarem Rukban.

A ONU e o SARC ajudarão aqueles que desejarem deixar Rukban voluntariamente, de acordo com os princípios humanitários.

“As Nações Unidas agradecem a todas as partes que facilitaram nossos comboios no caminho a Rukban. Agora, pedimos a todos que encontrem soluções duráveis para a população deslocada, com base em seu consentimento informado”, disse Fleischer.

As Nações Unidas pediram que todas as partes mostrem um compromisso contínuo para encontrar soluções seguras, dignas e sustentáveis para as pessoas vivendo em Rukban.