ONU e Sudeste da Ásia se unem no combate à violência contra mulheres e crianças

Entidades debatem meios para solucionar problema na região. Especialistas avaliam que agressões contra crianças é generalizada e mulheres sofrem pela desigualdade de gênero.

Representante Especial sobre Violência contra Crianças, Marta Santos Pais. UN Photo / Jean-Marc FerreRepresentantes das Nações Unidas e dos países do Sudeste da Ásia se uniram para pensar em formas de combater o multifacetado problema de violência contra mulheres e crianças na região. Para discutir estas questões, foi marcada uma reunião de dois dias destinada a reforçar as medidas contra este problema.

“A violência contra crianças é escondida, generalizada e ocorre em todos os contextos, incluindo nos lugares em que as crianças deveriam ter proteção especial”, disse a Representante Especial do Secretário-Geral sobre Violência contra Crianças, Marta Santos Pais.

Santos foi uma das participantes nas consultas realizadas em Manila, nas Filipinas, nesta semana, que também reuniram representantes da Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN), do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e da Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra as Mulheres (CEDAW).

Indira Jaising, especialista do Comitê CEDAW, ressaltou que “a violência contra as mulheres deve ser vista como uma manifestação de relações de poder desiguais na sociedade.”