ONU e Líbia chegam a acordo sobre a presença humanitária em Trípoli

Enviados das Nações Unidas em visita à Líbia chegaram a um acordo com as autoridades sobre a distribuição de ajuda humanitária na capital, Trípoli, disse hoje (18/04) o Secretário-Geral Ban Ki-moon, pedindo mais uma vez o fim imediato dos conflitos que têm tido forte impacto sobre os civis.

Ban Ki-moon e Pál SchmittEnviados das Nações Unidas em visita à Líbia chegaram a um acordo com as autoridades sobre a distribuição de ajuda humanitária na capital, Trípoli, disse hoje (18/04) o Secretário-Geral Ban Ki-moon, pedindo mais uma vez o fim imediato dos conflitos que têm tido forte impacto sobre os civis.

O acordo para estabelecer uma presença humanitária em Trípoli foi alcançado durante uma visita da Subsecretária-Geral da ONU para Assuntos Humanitários, Valerie Amos, e do Enviado Especial do Secretário-Geral, Abdel Elah al-Khatib, realizada ontem à capital do país. Durante a visita, al-Khatib e Amos reuniram-se com o alto escalão do Governo, incluindo o Primeiro-Ministro Mahmoud al-Baghdadi e o Ministro das Relações Internacionais Ati Abdel Al-Obeidi.

Eles reiteraram a firme condenação da comunidade internacional ao uso da força contra civis e apelaram às autoridades líbias que cessem os ataques militares imediatamente contra todas as partes do país, especialmente em Misrata, onde as condições são consideradas muito precárias. Eles também pediram as autoridades que facilitem a entrega de assistência humanitária a todos os necessitados.

Na semana passada, Ban Ki-moon disse que, no pior cenário, cerca de 3,6 milhões de pessoas necessitariam de assistência humanitária, e que seria necessário mobilizar todos os meios à disposição da comunidade internacional, incluindo os militares, para fornecer ajuda aos que dela necessitam. Também semana passada, a ONU e seus parceiros lançaram um apelo de 310 milhões de dólares para fornecer ajuda humanitária às pessoas afetadas pela crise na Líbia, mas até agora somente 41% deste total foi levantado.