ONU e BRICS promovem conferência em Viena sobre combate à corrupção nos esportes

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

O Brasil e os demais países que fazem parte do grupo dos BRICS (Rússia, Índia, China e África do Sul) realizam até esta quarta-feira (6) conferência em Viena, na Áustria, sobre corrupção nos esportes. O evento de dois dias, fruto de uma parceria com o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), reúne 250 participantes de 60 países.

Para o diretor-executivo do UNODC, Yury Fedotov, proteger os esportes da corrupção representa um investimento que traz claros benefícios econômicos e sociais.

Para o UNODC, proteger os esportes da corrupção representa um investimento que traz claros benefícios econômicos e sociais. Foto: UNIC Tóquio/Takashi Okano

Para o UNODC, proteger os esportes da corrupção representa um investimento que traz claros benefícios econômicos e sociais. Foto: UNIC Tóquio/Takashi Okano

O Brasil e os demais países que fazem parte do grupo dos BRICS (Rússia, Índia, China e África do Sul) realizam até esta quarta-feira (6) conferência em Viena, na Áustria, sobre corrupção nos esportes. O evento de dois dias, fruto de uma parceria com o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), reúne 250 participantes de 60 países.

O objetivo da conferência é facilitar a troca de ideias com o objetivo de proteger o esporte da corrupção. Além disso, os participantes farão recomendações sobre os próximos passos e atividades a serem realizados para o desenvolvimento do trabalho conjunto neste tema.

Para o diretor-executivo do UNODC, Yury Fedotov, os esportes estão em crise no mundo todo devido a escândalos de corrupção endêmica e envolvimento com o crime organizado. Alguns exemplos são a manipulação de resultados de partidas e as apostas ilegais.

Falando na abertura da conferência, Fedotov disse que cada vez mais as pessoas entendem que “proteger os esportes da corrupção representa um investimento, que traz claros benefícios econômicos e sociais”.

Na opinião do diretor-executivo do UNODC, a comunidade internacional precisa promover a integridade e barrar os criminosos que exploram os esportes para ganhos ilícitos. Ele lembrou que as práticas esportivas são uma força para o desenvolvimento e a paz.

Ele ressaltou ainda a importância de entidades como o Comitê Olímpico Internacional (COI) e a Federação Internacional de Futebol (FIFA) para a promoção da integridade dos esportes no mundo. As duas entidades estão participando da conferência.

Em novembro do ano passado, os 183 Estados-membros do UNODC adotaram uma resolução sobre Corrupção no Esporte, que representa um marco para o combate a esse crime .


Mais notícias de:

Comente

comentários